Argentina, Río Negro

REFÚGIO VIEJO – o primeiro refúgio no Cerro Tronador

No terceiro mês de nossa Exploração Argentina 18/19, estávamos em Pampa Linda, e vimos que havia uma trilha que cruzaria a fronteira entre Argentina e Chile. Era a trilha para o refúgio Viejo, o primeiro refúgio do Cerro Tronador, construído em 1938.

Como queríamos ficar mais que os 3 meses permitidos pelo visto de turistas na Argentina, ir até o Chile naquele momento seria uma oportunidade para renovar nosso visto e aumentarmos nossa permanência neste país.

O Cerro Tronador é o pico mais alto da primeira área natural protegida da Argentina, o gigante Parque Nacional Nahuel Huapi.

O Parque Nacional Nahuel Huapi está localizado a noroeste da Patagônia. Os 710.000 hectares que compõem seu território estão localizados nas províncias Neuquén e Río Negro, e em cidades como San Carlos de Bariloche, Dina Huapi, Villa Traful e Villa La Angostura.

Como chegamos

Chegamos em Pampa Linda por uma bela travessia de 6 dias, atravessando montanhas e lagoas, desde Colonia Suiza.

Pampa Linda é um pequeno vilarejo e encontramos 4 hospedagens: um hotel quase luxuoso, um albergue, um camping organizado e um camping agreste. Todos um ao lado do outro. Refeições são servidas no hotel, no albergue e no camping organizado.

Optamos por ficar no camping organizado Los Vuriloches.

O começo da trilha fica a 1 km do camping, ao lado da estrada que vai até a Garganta del Diablo.

Resumo do trekking

  • País: Argentina
  • Cidade: Bariloche
  • Início: Pampa Linda
  • Fim: Pampa Linda
  • Distância total: 34 km
  • Duração: 3 dias
  • Subida acumulada: 2200 metros
  • Descida acumulada: 2200 metros
  • Altitude máxima: 2300 metros
  • Mapa da trilha: Wikiloc
  • Período do trekking: início de fevereiro de 2019
  • Dificuldade: Moderada.

Roteiro

Fizemos o trekking em 2 noites e 3 dias, como segue:

  1. Pampa Linda a Carabiñeros de Chile
  2. Carabiñeros de Chile a refúgio Viejo Tronador
  3. refúgio Viejo Tronador a Pampa Linda

Dia 1: Pampa Linda – Carabiñeros de Chile

Total percorrido
Tempo sem paradas
Subida
Descida
Altitude máxima
Dificuldade
11,5 km
4h30min
887 metros
424 metros
1425 metros
Moderada

Segue a elevação do dia 1.

dia 1

Antes de sairmos de Pampa Linda, passamos pela Gendarmería Argentina que fica na entrada do vilarejo. Lá, carimbamos a saída da Argentina em nosso passaporte.

O começo da trilha é a mesma que vai até o Cerro Volcánico, nosso trekking anterior. Toda a trilha fica dentro do bosque, sempre subindo, até chegarmos no Paso Los Vuriloches. Infelizmente não vimos paisagem em nenhum momento, nem ao alcançarmos o Paso. O dia estava bem nublado, frio e com ventos.

No caminho encontramos dois argentinos que estavam voltando e nos deram algumas dicas sobre a trilha.

Depois do Paso, tivemos a única descida do dia até os Carabiñeros de Chile. Dois simpáticos chilenos nos recepcionaram. Carimbamos a entrada no Chile em nossos passaportes, e acampamos por lá.

LRM_EXPORT_20190304_153749

Se quiser assistir como foi a trilha, veja em nosso canal do YouTube:


Dia 2: Carabiñeros de Chile – Refugio Viejo Tronador

Total percorrido
Tempo sem paradas
Subida
Descida
Altitude máxima
Dificuldade
5,5 km
2h30min
997 metros
32 metros
2300 metros
Moderada

Segue a elevação do dia 2.

dia 2

Devido o mau tempo ficamos duas noites no Carabiñeros de Chile. Infelizmente em Pampa Linda não há internet disponível para viajantes e, acredite se quiser, o guarda parque não sabia nos informar a previsão do tempo. Subimos a montanha sem saber o básico: se clhoveria ou não. E assim ficamos um dia inteiro embaixo de chuva em frente à casa dos Carabiñeros. Para o relato, o dia chuvoso não será considerado.

No dia seguinte, o céu azul nos brindou e seguimos para o refúgio Viejo Tronador.
Caminhamos e subimos dentro do bosque por um bom período. Subimos sem parar em uma trilha bem demarcada e fácil de caminhar, apesar da inclinação.

Saímos do bosque e caminhamos sobre pedras até o refúgio. Sempre em direção ao cume. Pedras empilhadas, conhecidas como totens, nos indicam a direção.

Atravessamos alguns trechos bem alagados, e com a minha bota de trekking, outrora impermeável, as pontas dos pés ficaram molhados.

LRM_EXPORT_20190304_153722

O refúgio só é visto quando falta aproximadamente 1 km para alcançá-lo. Passamos um trecho pela neve, que em fevereiro, estava baixa e fofa. O refúgio fica a 2300 metros de altitude e está bem na divisa entre Argentina e Chile.

LRM_EXPORT_20190304_153843

Um Hito indica que o refúgio, apesar de ser criado pelo Clube Andino de Bariloche e pertencer ao parque argentino Nacional Nahuel Huapi, ele está hoje em território chileno. Talvez quando ele foi construído, em 1938, os limites internacionais não estavam tão bem definidos.

Fortes ventos nos obrigaram a dormir dentro do refúgio. Ficamos bem perto do cume do Cerro Tronador, com uma bela vista para o glaciar e os arredores.

LRM_EXPORT_20190304_153838

Se quiser assistir como foi a trilha, veja em nosso canal do YouTube:


Dia 3: Refúgio Viejo Tronador – Pampa Linda

Total percorrido
Tempo sem paradas
Subida
Descida
Altitude máxima
Dificuldade
17 km
6 horas
317 metros
1753 metros
2290 metros
Moderada Pesada

Segue a elevação do dia 3.

dia 3

Depois de uma noite ouvindo sem parar o vento passando no lado de fora, acordamos e criamos coragem para enfrentar o frio e o vento. Saímos da proteção do refúgio direto para Pampa Linda.

Foi uma descida longa e cansativa, com uma parada nos simpáticos e receptivos Carabiñeros de Chile, para carimbar nossa saída do Chile. O carabiñero nos explicou que é possível passar pelo Paso Vuriloche de novembro a março, fora deste período ele fica intransitável devido a neve. Inclusive a casa dos Carabiñeros desaparece embaixo de muita neve.

Dicas

  • Comece a trilha o mais cedo possível, para evitar o forte Sol.
  • Antes de dezembro e depois de maio, é importante passar no guarda parque para saber como estão as condições da trilha, principalmente sobre a neve.
  • Não se esqueça de passar na Gendarmería antes de começar a trilha, para carimbar no passaporte sua saída da Argentina.
  • melhor época é de janeiro à abril, quando o verão derreteu o excesso da neve, tornando a caminhada mais agradável. Vale observar, que janeiro é altíssima temporada e as cidades estarão lotadas e caras. Em abril, haverá a oportunidade de apreciar as cores do outono chegando, mas será um mês mais frio para se banhar nos lagos e rios.
  • É obrigatório o registro para fazer as trilhas no Parque Nacional Nahuel Huapi, apesar de não percebemos nenhum controle e fiscalização. O registro é fácil e rápido, e pode ser feito online ou no guarda parque.
  • É aconselhável levar um GPS, pois alguns trechos a trilha não está bem demarcada, principalmente nos trechos onde devemos cruzar os rios.

Custos

Até este momento de nossa Exploração Argentina 18/19, gastamos uma média individual de R$ 87 por dia.

Seguem alguns custos em pesos argentinos (ARS) e equivalentes em reais (BRL), conforme o câmbio que fizemos.

  • Camping Los Vuriloches, em Pampa Linda, diária individual: $ARS 350 ($BRL 36)
  • Refeição, na Hosteria Pampa Linda, individual com bebida: $ARS 600 ($BRL 62)

Cotação comercial em 8/1/2019:
$USD 1,00 = $BRL 3,72 = $ARS 37,29

Dados sabáticos

2425 km trilhados
60 cidades
4 países
1 ano e 8 meses

Quer mais?

Nós, Paula Yamamura e Ramon Quevedo, estamos curtindo uma vida sabática desde 2017, focando no que mais gostamos de fazer: viajar trilhando.

Nos acompanhe também em:

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s