Chile, Lagos, Sabático

COCHAMÓ – o vale que vale a pena

Dois dias antes de chegar em Cochamó, nunca tínhamos ouvido falar nesta cidade chilena litorânea. Vimos um planfeto no Hostal em Pucón, e nos interessamos em uma travessia que começa no Chile e termina na Argentina, passando pelo vale de Cochamó. Fomos ver pessoalmente e não nos arrependemos.

Cochamó é uma pequena cidade localizada na região dos Lagos, onde fica um lindo vale, com montanhas e grandes paredes de pedra, bordeando o claro rio Cochamó. Faz parte da Patagônia chilena, e as temperaturas oscilam entre 0 e 20°C.

Como chegamos

Nossa última localização era Pucón. Saímos de Pucón e após uma viagem de 5 horas de ônibus chegamos em Puerto Montt.

No terminal de Puerto Montt há duas empresas, que disponibilizam ônibus diariamente, passando por Cochamó. Segue a grade de horários, saindo de Puerto Montt:

2a feira a sábado: 7h45 / 11h30 / 12h15 / 14h00 / 15h30 / 16h00
domingos e feriados: 7h45 / 12h00 / 16h30

Quando entrar no ônibus, importante pedir para te deixarem em Valle de Cochamó. São 2h50min de viagem.
O ônibus te deixa em uma ponte, que dá acesso a uma estrada de terra. Esta estrada termina no início da trilha.

Campings

No total foram 5 noites acampando:

  • 1 noite no camping Campo Aventura, perto da ponte, na parada de ônibus
  • 4 noites no camping La Junta, no vale

camping Campo Aventura

Chegamos no final da tarde em Cochamó e optamos por dormir em algum camping perto da ponte. O motorista do ônibus nos indicou o camping Campo Aventura.

No camping fomos recebidos por Miguel, um americano que vive 17 anos no Chile. Ele nos recomendou não tentarmos a travessia que estávamos planejando para Argentina. Nos deu dois motivos: havia muita neve dificultando a visualização da trilha e o nível de água dos rios pode subir, tornando-os perigosos ao tentar atravessá-los. O ideal é fazer essa travessia entre janeiro e fevereiro, que são meses mais secos e os rios estão mais baixos.

O camping é simples e como o chuveiro não estava funcionando, nos deram $1000,00 de desconto por pessoa. O banheiro parecia ser novo e era bem limpinho.

O Campo Aventura fica ao lado do rio Cochamó, no lado oposto à estrada de terra que leva à La Junta. Do camping à ponte são 15 minutos andando.

camping La Junta

O camping La Junta fica bem no meio do vale. É um lugar muito lindo e vale a pena ser conhecido.

Para chegar ao camping deve-se percorrer uma trilha de 5 horas. Também é possível chegar em cavalos.

Foi o primeiro camping que passamos e o único aberto em novembro. Em novembro ainda é baixa temporada. No verão, na alta temporada, é necessário reservar com antecedência.

O camping é bem espaçoso e conta com uma boa infraestrutura, levando em consideração que não há eletricidade e saneamento básico.

Os banheiros são bem limpos e quase inodoros. Há um esquema para separar a urina das fezes, mantendo o ambiente sempre seco. Há chuveiro frio, pia para lavar roupa e local comunitário para refeições.

O gramado está sempre aparado pelos cavalos.

Se precisar de comida, são vendidas algumas verduras.

Outro ponto positivo é que não é muito alto e as noites não são tão frias.

Em La Junta, além do caminho que cruza a Argentina, também há algumas trilhas de 1 dia, para trekkers e escaladores.

Trilhas

Ponte de Cochamó a La Junta

Para chegar a La Junta há duas etapas para seguir:

1. Estrada de terra até início da trilha

São 6 km de estrada de terra sempre subindo. Dessa vez não conseguimos carona e tivemos que encará-la caminhando. Foram 1,5 hora de subida.
Na estrada há algumas opções de hospedagens e pelo que me informaram cada ano que passa, há cada vez mais construções. Em 2010 haviam somente 2 casas nesses 6 km que separam a ponte ao início da trilha. Mas o volume de turistas está crescendo rapidamente.

Resumo estrada terra
Total percorrido
Tempo
Subida
Descida
Altitude máxima
Dificuldade
6 km
1:30
47 metros
6 metros
50 metros
Leve

2. Trilha até La Junta

A estrada de terra termina no início da trilha que vai até La Junta.

A trilha percorre um bosque sempre ao lado esquerdo do rio e é bem protegida do Sol. Não é necessário carregar muita água, pois há vários lugares para coletar a água do rio.

Até Las Juntas todos os grandes cruzamentos de rios há pontes. Também há alguns riachos para cruzar, mas com a ajuda de algumas pedras não se molha os pés.

A trilha tem muita lama, que com um pouco de ginástica, sobrevive-se sem muitos estragos.

Após 2h30 de trilha, há uma placa para nos lembrar que devemos descansar. Essa placa indica praticamente a metade do caminho.

No total foram 5h30min de trilha para ir até La Junta. Para voltar fomos mais rápidos e fizemos o mesmo percurso em 4h15min.

O caminho é bem demarcado e não tem como errar. Na dúvida é só seguir as pegadas de homens e cavalos.

Ao chegar em La Junta há 4 opções de campings: La Junta, Trewe, outra unidade do Campo Aventura e Vista Hermosa. Para esses dois últimos é necessário cruzar o rio com um carrinho-tiroleza.

Resumo La Junta
Total percorrido
Tempo
Subida
Descida
Altitude máxima
Dificuldade
12 km
5:30
377 metros
111 metros
328 metros
Moderada

Sendero Cerro Arco Íris

O objetivo do dia era chegar no mirante do cerro Arco Íris.

A trilha começa atrás do camping e é totalmente dentro do bosque, protegido do Sol. Em alguns pontos era possível ver uma linda paisagem e o camping abaixo.

Subimos 1:10 até chegarmos em uma parede com corda. A partir deste ponto achamos muito perigoso continuarmos e voltamos.

Na volta passamos por uma cachoeira. Havia outra trilha saindo pela cachoeira, mas a ponte que atravessava o rio, caiu.

Ida e volta resultou em 2h30min de caminhada.

Resumo Arco Íris
Total percorrido
Tempo
Subida
Descida
Altitude máxima
Dificuldade
5 km
2:30
555 metros
549 metros
853 metros
Moderada Leve

Tobogã

A 10 minutos do camping fica uma queda d’água chamada Tobogã, onde o pessoal escorrega. O único problema é ter que atravessar o rio com água gelada pelas canelas, para chegar lá. Mas quem tiver o objetivo de se refrescar no tobogã, isso não será um problema.

base cerro Trinidad

Saindo do acampamento La Junta há um tipo de tiroleza com um carrinho pendurado para as pessoas atravessarem o rio. Do outro lado do rio há o camping Vista Hermosa e as trilhas que levam para os cerros Trinidad, Anfiteatro e cachoeiras.

Fomos até a base do cerro Trinidad. É uma trilha no meio do bosque, sempre subindo. Fitas rosas e amarelas marcam o caminho. Mas mesmo assim, na primeira hora ficamos 45 minutos perdidos. Até que decidimos ignorar algumas fitas e seguir o GPS. E conseguimos encontrar o caminho novamente.

Não é necessário carregar muita água, pois tem pontos de água no caminho.

Após 3h00 de caminhada, saímos do bosque e um lindo paredão de rocha aparece. É a base do cerro Trinidad.

Parecia que a trilha terminava por ali. Mas seguindo o vale à direita, encontramos a continuação do caminho. Subimos por um rio, passamos por uma placa, passamos ao lado de outro rio e a trilha não acabava. Andamos mais 50 minutos e como estava ficando tarde, voltamos sem chegar até o fim. No total foram 6 horas de caminhada.

Resumo Trinidad
Total percorrido
Tempo
Subida
Descida
Altitude máxima
Dificuldade
12 km
6:00
1023 metros
1001 metros
1121 metros
Moderada Pesada

Outros atrativos

Além da travessia para Argentina vimos outras placas indicando trilhas para outras montanhas e cachoeiras próximos.

Poderíamos ficar mais 2 dias acampando para conhecer mais os arredores. Mas tivemos que ir embora por causa da chuva e estoque de comida.

Custos

Custos em pesos chilenos para 1 pessoa:

  • Ônibus Puerto Montt a Cochamó, ida: $ 3500,00
  • Camping Campo Aventura, diária individual: $ 4000,00
  • Camping La Junta, diária individual: $ 4000,00

Cotação em 12/10/2017:
US$ 1,00 = R$ 3,17 = $ chilenos 623,88

Resumo do trekking

  • País: Chile
  • Distância entre cidades: Santiago (1160 km), Puerto Montt (116 km)
  • Área: Valle de Cochamó
  • Distância percorrida: 46 km
  • Duração: 5 dias
  • Subida acumulada: 2113 metros
  • Descida acumulada: 2044 metros
  • Altitude máxima: 1121 metros
  • Previsão do tempo: Windguru
  • Sinal de celular: sem sinal de celular
  • Período do trekking: início de novembro de 2017
  • Dificuldade: Moderada. Não indicada para iniciantes. Necessário bom condicionamento físico.

Dicas

  • Em Cochamó não há caixas eletrônicos e são pouco os lugares que aceitam cartão de crédito. Leve dinheiro suficiente para sua viagem.
  • Se for em alta temporada, entre janeiro e fevereiro, reserve sua estadia nos campings com antecedência.
  • Para o trecho na estrada de terra, é possível pagar para te levarem de carro até o início da trilha. Se informe em Cochamó.
  • Janeiro e fevereiro são os meses propícios para a travessia à Argentina, pelo paso El León.

Dados sabáticos

560 km trilhados
54 noites acampando
22 cidades
14 áreas naturais
5 meses
2 países

Quer mais?

Acompanhe nosso dia-a-dia no Facebook. Abaixo, veja as outras trilhas que fizemos no Chile:

Região Metropolitana de Santiago
Há duas opções de trekking muito bonitas: Travessia Altas Cumbres, onde se tem uma vista da cidade de Santiago por quase todo o percurso; e parque Yerba Loca, com várias trilhas e ótimo camping.

Região de Maule
Dois parques bem próximos e com ótimo camping da Conaf: Parque Nacional Radal Siete Tazas e Reserva Nacional Altos de Lircay.

Região Bío Bío
Tome um banho termal no Valle de Águas Calientes, próximo à Chillán.

Região de Araucanía
Visite os lindos parques nacionais Conguillio e Huerquehue. E faça também um bate-e-volta no vulcão Sollipulli.

Fonte

cochamo.com

Anúncios

3 comentários em “COCHAMÓ – o vale que vale a pena”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s