Santa Catarina_Palhoca_Serra do Tabuleiro
América do Sul, Brasil, Santa Catarina, Sul

MORRO CAMBIRELA – o ponto mais alto da grande Florianópolis

 

 

O morro do Cambirela está localizado no município de Palhoça, na grande Florianópolis em Santa Catarina, e pertence ao Parque Estadual Serra do Tabuleiro.

“Sua altitude é de 1052 metros, o que o torna o ponto culminante do município e da região, destacando-se pelo fato de elevar-se praticamente a partir do nível do mar até mais de um quilometro de altura.” (fonte Wikipedia)

Vale observar que o cume verdadeiro do Cambirela, descoberto em 2019, fica na face Sul da montanha, e ainda não há trilha para acessá-lo. As trilhas que sobem o Morro do Cambirela levam ao falso cume, localizado na face Norte.

É possível acessar seu cume falso por três trilhas, conhecidas como trilha 1, trilha 2 e trilha 3. A trilha 1 inicia próxima ao km 222 da BR 101, e as trilhas 2 e 3 começam próximas ao rio Cubatão. Fiz uma pesquisa rápida na web e me pareceu que a trilha 1 era a mais percorrida. E foi a que escolhemos. Não sei dizer qual é a trilha menos difícil, mas acredito que não tem opção fácil no morro do Cambirela.

Em breve, você também pode ver esta trilha em nosso canal do YouTube


Menu do post

  1. Resumo
  2. Clima
  3. Como chegamos
  4. Relato da trilha
  5. Observações
  6. Outras fontes
  7. Valeu?

Resumo

  • País: Brasil
  • Estado: Santa Catarina
  • Cidade: Palhoça
  • Início e fim: BR101, km 222
  • Distância: 5 km de aproximação + 5 km de trilha
  • Duração: 1 dia bate-e-volta
  • Período: final de março de 2021
  • Tracklog: Wikiloc
  • Previsão do tempo: Windguru
  • Vídeo do mapa em 3D: Relive

Segue o nosso percurso no mapa e o perfil de elevação.

Brasil_Sul_Santa Catarina_Palhoça
elevação da trilha Cambirela

Clique aqui para voltar ao menu.


Clima

“Em Palhoça, o verão é morno e opressivo; o inverno é longo, ameno e de ventos fortes. Durante o ano inteiro, o tempo é com precipitação e de céu parcialmente encoberto. Ao longo do ano, em geral a temperatura varia de 13 °C a 30 °C e raramente é inferior a 7 °C ou superior a 34 °C.” (fonte Weather Spark em 11/6/2021)

E pasmem, até neve já teve no Cambirela. A última aparição de neve foi em 2013.

Avaliando as informações do site Weather Spark e MSN, concluo que a melhor época para subir uma montanha na região de Palhoça, em Santa Catarina, é aproximadamente entre Maio a Agosto, quando o tempo estará mais fresco e haverá menos nuvens e chuvas.

Deixo aqui o link da previsão do tempo de hoje no Morro do Cambirela: Windguru.

E para você ter uma ideia melhor, abaixo segue um histórico do clima durante o ano em Palhoça (fonte MSN, atualizado em 11/6/2021).

Mês Temperatura media (ºC) Precipitação máx. (mm)
Janeiro
Fevereiro
Março
Abril
Maio
Junho
Julho
Agosto
Setembro
Outubro
Novembro
Dezembro
22 a 30
23 a 29
22 a 28
19 a 27
17 a 24
15 a 22
14 a 22
15 a 23
16 a 24
18 a 26
19 a 27
21 a 30
251
216
167
93
99
84
96
90
153
146
129
167

Clique aqui para voltar ao menu.


Como chegamos

Estávamos na casa de nosso amigo Renato na praia de Fora em Palhoça, e nós três (Paula, Ramon e Renato) fomos caminhando por 3 km até o início da trilha.

Para quem vai de carro, o pessoal costuma estacionar no posto Cambirela, localizado no km 223 da BR 101, sentido Sul (Florianópolis → Palhoça). Desde o posto Cambirela, é necessário caminhar pelo acostamento da rodovia BR101, sentido Florianópolis por 1,5 km.

Não há nenhuma indicação do início da trilha, por isso é importante ter algum tracklog no celular para saber onde entrar. Esta trilha está mapeada no aplicativo MapsMe.

Clique aqui para voltar ao menu.


Relato

Quase todos os dias que fiquei em Palhoça, o Cambirela estava encoberto pelas nuvens. Acompanhando a previsão do tempo, vimos que teríamos uma oportunidade. Então nos programamos de acordar cedo no dia seguinte para não perder o bom clima.

Estávamos próximos do km 223 da BR 101. Às 7 horas colocamos nossos pés na calçada e fomos caminhando até a rodovia.

Seguimos pelo acostamento da BR 101, até a altura do km 222, e saímos da estrada seguindo o caminho indicado pelo MapsMe. Entramos em uma rua de terra, onde havia um portão aberto e quebrado. Nesta pequena rua há uma propriedade privada, que nos pareceu abandonada. Também há espaço para estacionar carros, só não sei se é seguro.

Depois do muro desta propriedade começa a trilha do Cambirela. É uma trilha bem demarcada, sem nenhuma placa, dentro da floresta e inclinada. Em alguns momentos encontramos algumas bifurcações na trilha. É muito aconselhável ir com um tracklog no celular.

Podemos dividir a trilha em duas etapas: antes da água e depois da água.

Na primeira etapa, a trilha é até que tranquila de caminhar. É uma boa subida mas sem obstáculos. Na metade de nosso caminho, por volta do km 1,2, fizemos nossa primeira parada para descansar e comer um snack, na frente de uma grande pedra.

No km 1,4 havíamos subido 357 metros em elevação. Lá encontramos o primeiro ponto de água. Caminhamos mais ou menos no mesmo percurso da água por uns 200 metros. Foi um trecho um pouco confuso, e chegamos a perder a trilha por alguns metros.

Havia inclusive um cano para coletarmos a água. Vale observar que a trilha continua atrás deste cano. Este é o último ponto de água.

Cada um de nós carregávamos uma garrafa de 1,5 litro de água. Para mim e Ramon, foi mais que o suficiente. Para Renato, quase faltou na descida. Era final de março e o clima estava bem quente em Palhoça.

Depois da água, a subida muda de fase. A inclinação fica absurda e fomos praticamente de escalaminhada até o final. Em alguns momentos é possível ver um pouco da paisagem entre uma árvore e outra. Também passamos por uma gruta.

Santa Catarina_Palhoca_Serra do Tabuleiro
um pouco de paisagem no caminho
Santa Catarina_Palhoca_Serra do Tabuleiro
foco na foz do rio Cubatão

A subida exige muito, e sem preparo físico o sofrimento será inevitável. Eu mesma, fiquei com dores musculares nas pernas no dia seguinte. É bem cansativo.

Em alguns trechos há cordas fixadas para ajudar a subida, mas dá para seguir sem elas. Em outros momentos encontramos vias ferratas, simulando uma escada. Elas foram bem úteis.

Do primeiro ponto de água até o final da nossa caminhada foram 900 metros e um desnível de 464 metros.

Conforme subimos, as árvores foram sumindo. Muitas delas foram incendiadas em 2020.

Paramos de caminhar próximo do cume falso do Cambirela, onde há um belíssimo mirante de Florianópolis.

Santa Catarina_Palhoca_Serra do Tabuleiro
mirante para a região metropolitana de Florianópolis
Santa Catarina_Palhoca_Serra do Tabuleiro
foco na ponte de Florianópolis

Em março de 2021, o MapsMe indicava dois cumes do Cambirela. O cume verdadeiro fica ao Sul, onde não há acesso por trilha. Nós estávamos ao lado do cume falso.

Santa Catarina_Palhoca_Serra do Tabuleiro
vista para praia de Fora em Palhoça e a llha de Santa Catarina ao fundo

Para alcançar o cume falso teríamos que descer uma rocha que me pareceu bem perigosa. A preguiça também bateu. Nem tentamos ir para o cume falso. Ficamos satisfeitos com a paisagem que estávamos admirando.

Santa Catarina_Palhoca_Serra do Tabuleiro
vista para morro do Cedro e  Ilha Santa Catarina

Observamos a Ilha Santa Catarina, a Serra do Tabuleiro e o litoral catarinense.

Santa Catarina_Palhoca_Serra do Tabuleiro
vista da Serra do Tabuleiro e Santo Amaro da Imperatriz (acho)

E depois de descansarmos e curtirmos o mirante, voltamos pelo mesmo caminho que viemos.

Clique aqui para voltar ao menu.


Observações

  • Tenha cuidado onde colocar as mãos e pés. A Serra do Tabuleiro é a casa de aranhas e cobras. Todo cuidado é pouco para evitar uma picada.
  • A subida é bem puxada e há muitos trechos de escalaminhada. Não é para qualquer um.
  • Não se esqueça de avaliar a previsão do tempo antes. É muito comum o morro estar encoberto de nuvens. Incluí as coordenadas do Cambirela no Windguru.
  • A navegação pela trilha não é díficil, mas alguns trechos geram dúvidas. Não custa nada baixar um tracklog no celular.
  • Caso queira se aventurar nesse destino, te desejo boa sorte, ou bons ventos como estão dizendo por aí ultimamente. Lembrando que cada um tem que se auto-avaliar para entender se tem condições físicas, psicológicas e técnicas para se enfiar na natureza. O que é fácil e divertido para alguns, pode ser um grande desafio e chato para outros.

Clique aqui para voltar ao menu.


Outras fontes

Está fazendo uma pesquisa para sua viagem? Sempre é bom ler mais de um website. Deixo abaixo alguns links que encontrei sobre o Morro Cambirela.

Pesquisadores do IFSC fazem medição e descobrem nova altura máxima do Morro do Cambirela, em SC | Santa Catarina | G1 (globo.com)

Morro do Cambirela: trilha para chegar ao topo do gigante à beira do mar (tudosobretrilhas.com.br)

Hiking Morro do Cambirela – Palhoça – SC (aventurebox.com)


Este post vale 1 real?

Nos ajude a pagar a hospedagem deste site e mantê-lo vivo.

Qualquer doação é bem-vinda!

Se quiser nos ajudar, com qualquer valor, poderá usar a nossa chave Pix: doe@mochilaosabatico.com. Ou usar o botão do PayPal abaixo.😉

R$1,00


Encontrou algum erro de gramática neste post? Me avise comentando abaixo. Obrigada!

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.