América do Norte, Califórnia, Estados Unidos

PACIFIC CREST TRAIL #11 – Old Station (1375 mi) a Chester (1329 mi)

Em 2019 decidimos caminhar um pedacinho da Pacific Crest Trail, uma longa trilha de 4200 km, que percorre a costa oeste norte-americana, e vai do México ao Canadá. Esta trilha ficou popular após ser retratada no filme “Wild”.

O resumo desta caminhada está descrito no post principal “Pacific Crest Trail – nosso pedacinho deste longo caminho“.

Neste relato segue nossa caminhada, pelo norte da Califórnia, sentido Sul, de Old Station até Chester, passando por Lassen National Forest e Lassen Volcanic National Park.

Importante informar que não caminhamos alguns km da Pacific Crest Trail, correspondente à Burney Falls State Park até Old Station.

Tomamos essa decisão ao percebemos que neste trecho não havia sombra, não havia água e sobraria Sol queimando nossas cabeças. Além disso não havia nenhum atrativo natural que nos incentivasse a enfrentar essas condições desagradáveis. Desse modo pulamos de Burney até Old Station com a ajuda de gentis caronas.

Se quiser assistir como foi a trilha, veja o vídeo em nosso canal do YouTube:

Resumo da caminhada

  • País: Estados Unidos
  • Estado: Califórnia
  • Cidades próximas: Old Station, Burney, Chester
  • Início: Old Station
  • Fim: Chester
  • Distância total: 74 km
  • Duração: 4 dias
  • Período: final de julho de 2019

Clique aqui para voltar ao início do post.

Como chegamos

Em nosso décimo trecho, fomos parar na cidade de Burney. Para sairmos de Burney e chegarmos em Old Station, pedimos carona.

Estávamos na rua principal de Burney que é a rodovia 299. Com a ajuda de uma placa improvisada com a descrição “Old Station” e os polegares estendidos, a primeira carona demorou cerca de 20 minutos. Uma senhora nos deixou no cruzamento da rodovia 299 com a 89. Estávamos a 22 milhas em uma linha reta até Old Station, e logo um americano parou para nos dar outra carona até nosso destino.

Clique aqui para voltar ao início do post.

Abastecimento

Início do trecho – Burney e Old Station

Para este trecho nos abastecemos em Burney Town, uma cidade de tamanho pequeno a médio, com um ótimo mercado, vários motéis, Post Office, loja de esportes e restaurantes, incluindo MCDonald.

Além de Burney Town há a possibilidade do abastecimento ser realizado no mini-mercado do posto de gasolina em Old Station. Neste posto também é possível acampar e usar o banheiro no horário comercial do local, que é das 7 às 22 horas. Depois deste horário, há um banheiro químico para os necessitados fora de hora. Infelizmente não há chuveiro ou lavanderia. Ao lado do posto também há um restaurante com Wi-Fi.

Final do trecho – Chester

Terminamos este trecho na cidade de Chester, que é uma cidade com infraestrutura parecida com a de Burney, com um bom mercado, restaurantes, motéis, lavanderia e Post Office. Os hikers ficam concentrados no quintal da igreja, onde é possível acampar e usar o banheiro químico. Para tomar banho, ao lado da lavanderia há um chuveiro público, que funciona com moedas. Internet aberta há no Locker e na Biblioteca, que aliás é um lugar muito agradável para ficar. Nós nos hospedamos no Selena Motel, e ficamos muito decepcionados quando descobrimos que não havia Wi-Fi.

Clique aqui para voltar ao início do post.

Roteiro

Fizemos a caminhada em 3 noites e 4 dias, totalizando 67 dias na Pacific Crest Trail, como segue:

  1. 1375 mi (Old Station) a 1366 mi (Hat Creek)
  2. 1366 mi (Hat Creek) a 1355 mi (Swan Lake)
  3. 1355 mi (Swan Lake) a 1342 mi (Domingo Lake)
  4. 1342 mi (Domingo Lake) a 1329 (Chester)

Abaixo, segue mapa com os pontos azuis onde dormimos.

Clique aqui para voltar ao início do post.

Dia 1: 1375 mi (Old Station) a 1366 mi (Hat Creek)

Total
Passamos por
14 km
Lassen National Forest

Dia curto na floresta no Lassen National Forest, com um breve momento de vista para o pico nevado do Lassen.

Planejamos neste trecho acampar no Twin Lake, que fica a 32 km do Old Station. Como não conseguimos caminhar tudo isso em um dia, dividimos a pernada em dois dias mais leves, acampando a primeira noite ao lado do Hat Creek.

Clique aqui para voltar ao início do post.

Dia 2: 1366 mi (Hat Creek) a 1355 mi (Swan Lake)

Total
Passamos por
18 km
Lassen National Forest
Lassen Volcanic Wilderness
Lassen Volcanic National Park

Continuamos dentro do bosque no Lassen National Forest, com o Mount Lassen aparecendo de vez em quando no horizonte.

vista para o Mount Lassen

Chegamos no Lassen Volcanic National Park, nosso primeiro parque nacional na Pacific Crest Trail.

Avaliando o mapa no celular, tanto no aplicativo da Pacific Crest Trail como no MapsMe, vimos uma oportunidade. Uma trilha paralela à PCT passava em vários lagos e não acrescentava mais km na caminhada. Decidimos pegar essa trilha paralela e passamos por: Cluster Lakes, Silver Lake e Feather Lake.

O destaque foi o Silver Lake, com sua água cristalina e o Mount Lassen ao fundo.

Silver Lake

A beleza dos lagos foi obscurecida por um incêndio florestal. Várias árvores queimadas e caídas. Mas uma ou outra continuava soberana, sobrevivente ao poder do fogo.

Depois deste pequeno desvio, logo retornamos à Pacific Crest Trail e encontramos o Twin Lake, onde seria nosso acampamento do dia. Mas achamos o lago sem graça e decidimos caminhar mais um pouco.

Em menos de 1 km chegamos no Swan Lake, muito parecido com o lago anterior, mas acabamos ficando por lá. A água era bem cristalina, e o Ramon aproveitou para dar um ti-bum nesta “piscina”.

Swan Lake

Por volta das 17h30min recebemos a visita de um guarda-parque. Ele foi averiguar se estávamos com a Bear Canister, um recipiente para armazenamento de comida à prova de ursos. O uso deste recipiente é obrigatório neste parque.

O guarda nos falou que uns dois anos atrás, um urso pegou a mochila de um hiker e sumiu. Foram encontrar a mochila um ano depois, alguns km distantes do lago, toda destroçada. O Bear Canister que estava dentro da mochila continuava intacto. Bear Canister tem que ficar alguns metros longe da barraca e pertences, dentro da mochila não é muito útil… Que o diga o pobre do hiker…

O guarda-parque também perguntou se tínhamos o permit da PCT, confirmamos que sim, acreditou em nossa palavra e não quis ver o papel. Acho que ele estava com pressa para finalizar o expediente do dia.

Vimos neste lago mais 4 pessoas acampando bem distantes de nós. E assim fomos dormir, nós e a assombração do urso.

E o pior, que esse papo de urso me tirou o sono. Eram umas 23 horas quando o Ramon me acordou falando: “Você ouviu? Acho que é o urso.”. Ah pronto!!! O Ramon colocou a lanterna e saiu da barraca. Era um veado. Um veado que ficou a noite inteira comendo o gramado ao lado de nossa barraca, fazendo barulho e roubando nossos sonos.

Clique aqui para voltar ao início do post.

Dia 3: 1355 mi (Swan Lake) a 1342 mi (Domingo Lake)

Total
Passamos por
21 km
Lassen National Forest
Lassen Volcanic Wilderness
Lassen Volcanic National Park

Depois do Swan Lake descemos pela floresta e cruzamos o Kings Creek com a ajuda de um tronco. Cruzamos com várias pessoas neste dia que estavam aproveitando as diversas trilhas do Lassen Volcanic National Park.

Descemos até o Wagner Campground, uma área de camping com acesso aos carros. Seguimos e logo passamos ao lado do resort Drakesbad Guest Ranch. Na trilha um córrego de água termal passava pelos meus pés. Estávamos próximos do Boiling Springs Lake.

Continuamos na trilha, saímos um pouco da Pacific Crest Trail e pegamos uma trilha em paralelo que nos levou para o Boiling Springs Lake.

Boiling Springs Lake

Esse lago nos surpreendeu. O cheiro de enxofre, uma cor intensa e leitosa verde-água, suas bordas coloridas e o borbulhar da água indicavam a atividade vulcânica do parque nacional. Foi a imagem mais marcante da PCT até o momento.

Depois fizemos outro desvio e fomos conhecer o Terminal Geyser. Ficamos surpreendidos novamente. A atividade vulcânica ativa marcando presença. Algo curioso é que estes dois atrativos estavam bem vazios.

Terminal Geyser

Saímos do parque nacional e voltamos a caminhar no Lassen National Forest.

Descemos até o Domingo Lake, que fica um pouco fora da trilha, mas é um lago que fica a 20 km de Chester, nosso destino final deste trecho. Acampamos solitários neste lago.

Domingo Lake

Clique aqui para voltar ao início do post.

Dia 4: 1342 mi (Domingo Lake) a 1329 (Chester)

Total
Passamos por
21 km
Lassen National Forest

Foram 20 km em estrada de ripio até Chester. Eram para ser monótonos 20 km. Só que não… Não foram monótonos e jamais esquecerei este dia.

No meio do caminho paramos para lanchar. Aproveitei para ir fazer xixi atrás de uma árvore, no bosque ao lado da estrada. Quando estava urinando, vi uma abelha 🐝. Ao terminar o xixi, já eram várias abelhas! Comecei a tentar afastá-las com as mãos e começaram a me picar!!! Desesperada, vendo que não conseguiria subir minha calça e ouvindo a aproximação de mais abelhas, saí de lá correndo com as calças arriadas e gritando pelo Ramon.

O Ramon só viu eu saindo detrás da árvore, correndo de calças arriadas, pedindo socorro. Ele não entendeu nada, mas na dúvida saiu correndo também. Eu correndo no meio da estrada, de calças arriadas e o Ramon correndo atrás de mim perguntando o que aconteceu e porque eu não levantava a calça para correr! Imagino que ele estava bem confuso…

Perguntei se havia abelhas atrás de mim, ele negou. Então parei, expliquei o ocorrido e abaixei toda a calça para ver se não havia mais nenhum inseto em mim. E lá estava uma sobrevivente ainda. Uma abelha amarelinha, parecia a abelha de jaqueta amarela que há na Patagônia. Espantei ela, e enfim subi as calças. Corri mais um pouco para garantir. Estava salva. Mas com a perna toda picada e doída. Mal conseguia andar. Faltavam ainda uns 7 km até poder descansar em Chester.

Ainda bem que nenhum carro passou na estrada naquele momento… Iriam pensar que o Ramon era um tarado.

Clique aqui para voltar ao início do post.

Dicas

  • Dicas gerais da Pacific Crest Trail estão no post principal “Pacific Crest Trail – nosso pedacinho deste longo caminho“.
  • Viu uma abelha? Fique esperto! Saia do local antes que suas amiguinhas apareçam.
  • Os pequenos desvios na PCT neste trecho valeram a pena. Não deixe de apreciar a atividade vulcânica no Lassen Volcanic National Park.

Custos

Seguem alguns custos em dólares americanos (USD) e equivalentes em reais (BRL), conforme o câmbio que fizemos.

  • Shasta Pines Motel , hospedagem em Burney, diária casal, com café da manhã: $USD 66 ($BRL 264)
  • Mercado Safeway em Burney, comida para trilha, média diária individual: $USD 7 ($BRL 29)
  • Selena Motel em Chester, diária casal sem Wi-Fi e sem café-da-manhã: $USD 68 ($BRL 268)
  • Lavanderia em Chester: $USD 3,75 ($BRL 15)

Clique aqui para voltar ao início do post.

Dados sabáticos

3800 km trilhados
78 cidades
5 países
2 anos e 1 mês

Clique aqui para voltar ao início do post.

Quer mais?

Nós, Paula Yamamura e Ramon Quevedo, estamos curtindo uma vida sabática desde 2017, focando no que mais gostamos de fazer: viajar trilhando.

Nos acompanhe também em:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.