Califórnia, Estados Unidos

PACIFIC CREST TRAIL #9 – Sawyers Bar Road/Etna (1597 mi) a Castella (1499 mi)

Em 2019 decidimos fazer um pedacinho da Pacific Crest Trail, uma longa trilha de 4200 km, que percorre a costa oeste norte-americana, e vai do México ao Canadá. Esta trilha ficou popular após ser retratada no filme “Wild”.

O resumo desta caminhada está descrito no post principal “Pacific Crest Trail – nosso pedacinho deste longo caminho“.

Neste relato segue nossa caminhada, pelo norte da Califórnia, sentido Sul, de Sawyers Bar Road/Etna até Castella, passando por Klamath National Forest e Shasta-Trinity National Forest.

Se quiser assistir como foi a trilha, veja o vídeo em nosso canal do YouTube:

Resumo da caminhada

  • País: Estados Unidos
  • Estado: Califórnia
  • Cidades próximas: Etna, Castella, Dunsmuir, Mt Shasta
  • Início: Sawyers Bar Road, Etna
  • Fim: Castella
  • Distância total: 158 km
  • Duração: 9 dias
  • Período: meados de julho de 2019

Como chegamos

Em nosso oitavo trecho estávamos na cidade Lone Pine, localizada no centro da Califórnia. Para nos deslocarmos até Etna fizemos uma viagem de ônibus de 2 dias.

De Lone Pine fomos até Mojave, onde pegamos outro ônibus até Bakersfield. Lá dormimos uma noite, para no dia seguinte irmos até Weed, onde outro ônibus nos levou até Etna.

Na pequena cidade Etna, o movimento de carro era pequeno e não nos arriscamos a perder tempo pedindo carona, então pagamos 15 dólares para o dono de um hostel nos levar até início da trilha.

Ufa… conseguimos voltar à trilha.

Clique aqui para voltar ao início do post.

Abastecimento

Início do trecho – Etna

No início do trecho estávamos na pequena cidade Etna, onde há um bom mercado para abastecimento, um restaurante com ótima pizza, um aconchegante parque com estrutura de camping, motel e hostel. Um agradável local para se abastecer e descansar.

Final do trecho – Castella

No final do trecho pegamos um atalho ainda na trilha, rumo ao posto de gasolina de Castella. Este atalho nos economizou 5 km de caminhada. Neste posto há uma unidade do Correio e um mercado caríssimo. Mas sem opções, nos re-abastecemos neste mercado mesmo.

Também aproveitamos o correio para despachar algumas roupas de frio para Sierra City,, onde começa a Sierra Nevada ao norte. Perto do posto de gasolina há um camping pago do Castle Crags State Park com Wi-Fi, chuveiro quente (US$ 0,50/minuto) e diária de US$ 5 para PCT hikers.

Clique aqui para voltar ao início do post.

Roteiro

Fizemos a caminada em 8 noites e 9 dias, completando 55 dias na Pacific Crest Trail, como segue:

  1. 1597 mi (Sawyers Bar Road – Etna) a 1588 mi (Statue Creek)
  2. 1588 mi (Statue Creek) a 1577 mi (South Fork Scott River)
  3. 1577 mi (South Fork Scott River) a 1564 mi (Mosquito Lake Creek)
  4. 1564 mi (Mosquito Lake Creek) a 1553 mi (Shasta-Trinity National Forest)
  5. 1553 mi (Shasta-Trinity National Forest) a 1543 mi (Chilcoot Creek)
  6. 1543 mi (Chilcoot Creek) a 1534 mi (Deadfall Lake)
  7. 1534 mi (Deadfall Lake) a 1521 mi (Lake Helen)
  8. 1521 mi (Lake Helen) a 1505 mi (Sulphur Creek)
  9. 1505 mi (Sulphur Creek) a 1499 mi (Castella)

Abaixo, segue mapa com os pontos azuis onde dormimos.

Clique aqui para voltar ao início do post.

Dia 47: 1597 mi (Sawyers Bar Road – Etna) a 1588 mi (Statue Creek)

Total
Passamos por
14 km
Klamath National Forest
Russian Wilderness

Caminhamos pelo Klamath National Forest, com belas paisagens de montanhas. Entre as montanhas, vimos o lago Smith e o pico nevado do Mount Shasta ao fundo.

Lago Smith e Mount Shasta ao fundo

Passamos também no lago Paynes, onde havia um bom local de acampamento. Se tivéssemos comida sobrando teríamos acampado por lá.

Lago Paynes

A trilha seguia mais 1 km fora da PCT para um outro lago. Mas nesse dia estávamos muito cansados, devido à noite anterior mal dormida, e não fomos conhecê-lo.

As belas paisagens continuaram no Russian Wilderness. Acampamos ao lado do ponto de água Statue Creek, na floresta.

No final da noite mais duas hikers se juntaram a nós.

Clique aqui para voltar ao início do post.

Dia 48: 1588 mi (Statue Creek) a 1577 mi (South Fork Scott River)

Total
Passamos por
18 km
Klamath National Forest
Russian Wilderness
Trinity Alps Wilderness

Acordamos mais dispostos e continuamos nossa caminhada pelo Russian Wilderness.

Russian Wilderness

Caminhada agradável, em uma trilha estreita moldada na montanha, nos deixando ao lado de um quase precipício e belas paisagens.

Antes de passarmos para o outro lado da montanha, tiramos uma foto com o lago Jackson abaixo e o Mount Shasta ao fundo.

Jackson Lake

Caminhamos na Salmon Mountains.

Depois de atravessarmos uma estrada de terra e outra asfaltada, a Callahan Cecilville Road, alcançamos o Trinity Alps Wilderness. Acampamos sozinhos ao lado do South Fork Scott River.

Clique aqui para voltar ao início do post.

Dia 49: 1577 mi (South Fork Scott River) a 1564 mi (Mosquito Lake Creek)

Total
Passamos por
21 km
Trinity Alps Wilderness

Continuamos no Trinity Alps Wilderness, com vários pontos de água no caminho e paisagens com lagoas.

paisagem

Ainda cedo tivemos que dar passagem para uns 7 cavalos conduzidos por 2 guarda-parques, e mais tarde encontramos um grupo de 5 senhoras com média de 65 anos trilhando no final de semana.

Terminamos nosso dia em um riacho originário do Mosquito Lake. Foi mais um local de acampamento que não estava discriminado no aplicativo gratuito da PCT. Ficamos sós esta noite.

Clique aqui para voltar ao início do post.

Dia 50: 1564 mi (Mosquito Lake Creek) a 1553 mi (Shasta-Trinity National Forest)

Total
Passamos por
18 km
Trinity Alps Wilderness
Shasta-Trinity National Forest

Dia de caminhada sem muitas paisagens no Scott Mountain e com pouco pontos de água. Entramos no Shasta-Trinity National Forest.

A monotonia foi quebrada por um veado. No meio da trilha lá estava ele, se alimentando da grama próximo a um córrego. Nos aproximamos devagar para tirar algumas fotos. Ficamos na dúvida se ele era cego, surdo ou nos menosprezou totalmente. Nos aproximamos bem perto dele, ficamos por lá vários minutos, e ele não teve medo. A grama deveria estar deliciosa.

Veado posando para foto

O veado só saiu de nossas vistas quando uma thru-hiker completamente sem interesse pela vida animal passou quase correndo pela trilha, ignorando completamente o veado que quase a atropelou, quando fugiu. Ainda bem que nós já estávamos satisfeitos com as nossas fotos.

Outro animal que encontramos neste dia foi uma cobra cascavel, que quase foi pisada por mim. Incrível como passamos ao lado destes répteis sem perceber.

cobra cascavel

Pegamos um pouco de chuva neste dia.

Depois de um bom trecho sem água, chegamos em uma fonte de água bem mirrada, onde acampamos ao lado. Quando estávamos dentro da barraca, choveu granizo.

Conosco acampou um homem de longas barbas brancas. Faltou somente a barriga para ser um Papai Noel.

Clique aqui para voltar ao início do post.

Dia 51: 1553 mi (Shasta-Trinity National Forest) a 1543 mi (Chilcoot Creek)

Total
Passamos por
16 km
Shasta-Trinity National Forest

Continuamos caminhando no Shasta-Trinity National Forest. A caminhada foi leve pois planejamos acampar no Deadfall Lake no dia seguinte. Como não conseguimos chegar no Deadfall neste dia, quebramos a caminhada em dois.

Subimos a montanha e no auge do dia tivemos a bela vista do Mount Shasta e o Bull Lake abaixo. Ahhh… saudades da Patagônia…

Bull Lake

Acampamos no ponto de água Chilcoot Creek, juntos com mais 4 hikers.

Clique aqui para voltar ao início do post.

Dia 52: 1543 mi (Chilcoot Creek) a 1534 mi (Deadfall Lakes)

Total
Passamos por
14 km
Shasta-Trinity National Forest

Dia nublado e agradável no Shasta-Trinity National Forest.

Vimos de cima o Bluff Lake, onde conseguimos uma boa foto próxima a um precipício.

Bluff Lake

Contornamos o Bluff Lake e passamos por uma estrada onde havia um estacionamento. Mais 5 km e chegamos nos Deadfall Lakes, dois lagos habitados por peixes e frequentados pelos locais.

um dos Deadfall Lakes e nossa barraca

Além dos lagos, há uma trilha de 4 km, que leva até o pico do Mount Eddy (2751 metros de altitude). Sem comida sobrando, e como ainda teríamos mais 3 dias de caminhada, optamos por não conhecer este cume.

Acampamos ao lado do lago Deadfall, junto com várias outras barracas, de pessoas que estavam curtindo as férias. Vimos crianças, pessoas pescando, tocando violão, gente pelada nadando no lago… Enfim, um ambiente fora da PCT, dentro da PCT. O melhor foi ter ganhado uma maçã e duas cenouras de uma americana que passou por nós. Comida fresca vale ouro depois de seis dias na trilha.

Clique aqui para voltar ao início do post.

Dia 53: 1534 mi (Deadfall Lakes) a 1521 mi (Lake Helen)

Total
Passamos por
21 km
Shasta-Trinity National Forest

Contornamos o lago inferior do Deadfall Lakes e continuamos no Shasta-Trinity National Forest.

Neste dia só deu ele: o Mount Shasta, sempre aparecendo no horizonte, cada vez maior e imponente.

Mount Shasta no horizonte

Também avistamos os lagos Toad e Picayune no caminho.

Um pouco antes de passarmos a Forest Road 40N45, cruzamos com um americano e ganhamos novamente maçãs! Que delícia de momento.

Avistamos o Lower Seven Lake e saímos 1 km da trilha para acamparmos solitários no lago Helen.

Helen Lake

Tivemos o melhor entardecer da PCT até o momento, com vista para o Mount Shasta, Helen Lake e Lower Seven Lake.

Entardecer na Pacific Crest Trail

Clique aqui para voltar ao início do post.

Dia 54: 1521 mi (Lake Helen) a 1505 mi (Sulphur Creek)

Total
Passamos por
26 km
Shasta-Trinity National Forest
Castle Crags Wilderness

Assim como o entardecer, o amanhecer no lago Helen foi muito contemplativo. Seguimos pela Shasta-Trinity National Forest, com o gigante Mount Shasta cada vez maior no horizonte.

Shasta-Trinity National Forest

E então surge outra beleza natural, entramos no Castle Crags Wilderness, com seus paredões de rocha, que claro, lembravam um castelo.

Castle Crags

Contornamos as formações rochosas para começar uma descida infinita. Sem muitas opções de acampamento com água no caminho, caminhamos 27 km neste dia até encontrarmos o Sulphur Creek, onde armamos nossa barraca.

Neste dia cruzamos com vários hikers, mas no acampamento havia somente nós. Afinal de contas, estávamos somente a 10 km da rodovia e a 6 km de Castella, nosso destino final daquele dia.

Clique aqui para voltar ao início do post.

Dia 55: 1505 mi (Sulphur Creek) a 1499 mi (Castella)

Total
Passamos por
10 km
Shasta-Trinity National Forest
Castle Crags Wilderness
Castle Crags State Park

Dia curto. Logo após nosso acampamento havia uma bifurcação à direita que corta 5 km de trilha até o posto de gasolina em Castella.

Pegamos este atalho e em menos de duas horas chegamos no posto, mercado, correios e no Castle Crags State Park onde acampamos.

Clique aqui para voltar ao início do post.

Dicas

  • Dicas gerais da Pacific Crest Trail estão no post principal “Pacific Crest Trail – nosso pedacinho deste longo caminho“.
  • O mercado em Castella aceita encomendas de PCT hikers. Como este mercado é caríssimo, talvez valha a pena despachar comida ao invés de comprá-la in loco.
  • Outra boa opção é tentar uma carona até as cidades Dunsmuir ou Mt Shasta, ao invés de pernoitar em Castella.

Clique aqui para voltar ao início do post.

Custos

Seguem alguns custos em dólares americanos (USD) e equivalentes em reais (BRL), conforme o câmbio que fizemos.

Transporte

  • Ônibus, Lone Pine a Mojave , individual: $USD 22 ($BRL 88)
  • Ônibus, Mojave a Bakersfield, individual: $USD 5 ($BRL 20)
  • Ônibus, Bakersfield a Weed, individual: $USD 180 ($BRL 719)
  • Ônibus, Weed a Etna, individual: $USD 4 ($BRL 16)

Hospedagem

  • Banho no Etna Park: $USD 5 ($BRL 20)
  • Camping Castle Crags State Park, em Castella, diária individual: $USD 5 ($BRL 20)

Mercado

  • Mercado Ray’s em Etna, comida para trilha, média diária individual: $USD 6 ($BRL 26)
  • Mercado em Castella, comida para trilha, média diária individual: $USD 10 ($BRL 40)

Correio

  • Correio em Castella, envio de roupas para Sierra City: $USD 15 ($BRL 60)

Clique aqui para voltar ao início do post.

Dados sabáticos

3600 km trilhados
75 cidades
5 países
2 anos e 1 mês

Clique aqui para voltar ao início do post.

Quer mais?

Nós, Paula Yamamura e Ramon Quevedo, estamos curtindo uma vida sabática desde 2017, focando no que mais gostamos de fazer: viajar trilhando.

Nos acompanhe também em: