Califórnia, Estados Unidos

PACIFIC CREST TRAIL #7 – Walker Pass (652 mi) a Kennedy Meadows (702 mi)

Em 2019 decidimos fazer um pedacinho da Pacific Crest Trail, uma longa trilha de 4200 km, que percorre a costa oeste norte-americana, e vai do México ao Canadá. Esta trilha ficou popular após ser retratada no filme “Wild”.

O resumo desta caminhada está descrito no post principal “Pacific Crest Trail – nosso pedacinho deste longo caminho“.

Neste relato segue nossa caminhada, pelo Sul da Califórnia, sentido norte, de Walker Pass até Kennedy Meadows, passando pelo Owens Peak Wilderness, Chimney Peak Wilderness e Domeland Wilderness.

Se quiser assistir como foi a trilha, veja o vídeo em nosso canal do YouTube:

Resumo da caminhada

  • País: Estados Unidos
  • Estado: Califórnia
  • Cidades próximas: Bakersfield, Lake Isabela, Ridgecrest
  • Início: Walker Pass
  • Fim: Sherman Pass Road, Kennedy Meadows
  • Distância total: 84 km
  • Duração: 6 dias
  • Período do trekking: final de junho de 2019

Como chegamos

Finalizamos nosso sexto trecho na Pacific Crest Trail, na cidade de Big Bear Lake, no sul da Califórnia. Devido ao calor infernal, abandonamos o sul e retomamos a trilha sentido norte, a partir de Walker Pass.

Para isso nos deslocamos até a cidade de Bakersfield. Saímos 9h30 do hotel em Big Bear. Fomos de ônibus até San Bernadino, a cidade do primeiro restaurante MCDonald. O ônibus para em frente à uma estação, onde pegamos um trem até Los Angeles Union Station. Chegando em Los Angeles, fomos a pé até a empresa de ônibus.

Tivemos muito azar neste dia. Algo aconteceu no centro de Los Angeles e todos os ônibus atrasaram. O nosso ônibus atrasou cerca de 2 horas.

Chegamos em Bakersfield por volta das 22 horas. Sem opção de transporte, fomos a pé até um hotel no centro. Depois de 13 horas desde que saímos no hotel em Big Bear, chegamos no hotel Vagabond Inn.

Acabamos ficando dois dias em Bakersfield, onde pegamos um ônibus até Lake Isabela, e de lá pegamos outro ônibus para Walker Pass, o reinício de nossa caminhada.

Clique aqui para voltar ao início do post.

Abastecimento

Início do trecho

No trecho anterior estávamos em Big Bear Lake, uma cidade maior que Wrightwood, Agua Dulce ou Green Valley. Tem boa infraestrutura, com mercados, farmácias, correio e vários fast foods. No correios de Big Bear pegamos um pacote que havíamos enviado de Wrightwood, com várias roupas de frio. Tivemos o cuidado de inserir na caixa: “General Delivery, PCT hiker”, e deu tudo certo com o envio.

Depois fomos até Bakersfield, uma grande cidade onde aproveitamos para comprar suprimentos no supermercado Target.

Final do trecho

No final deste trecho chegamos em Kennedy Meadows, uma comunidade que presta alguns serviços para os hikers. A primeira parada é em Kennedy Meadows General Store, onde há um mercado para comprar comida, lanchonete, banheiro, chuveiro, área de camping e aceita encomendas. O Wi-Fi é pago, US$ 10 por dia. Nós pegamos dois Bear Cannisters cheios de comida, que havíamos enviado no início da viagem. Atrasamos 1 mês para chegar em Kennedy Meadows, avisamos por email sobre o atraso e deu tudo certo com o envio. Um ponto interessante para informar é que não é necessário embrulhar o Bear Cannister em caixa ou papel para despachá-lo no correio.

Próximo à General Store, mas longe para ir a pé, há um restaurante vizinho de uma loja de equipamentos, o Grumby Bears Retreat. No restaurante também há banheiro, chuveiro, internet paga, aceita encomendas e é permitido acampar. Na loja, muito bem equipada, com tudo que os hikers precisam, desde mochilas até snacks, havia internet grátis. O único problema deste lugar é ficar dependendo de outros para te levar de volta à trilha ou para General Store. Nós esperamos cerca de 2 horas para sair de lá com uma carona. Vale observar que estávamos em baixa temporada. A maioria dos hikers já havia passado por lá.

Clique aqui para voltar ao início do post.

Roteiro

Fizemos a caminhada em 5 noites e 6 dias, completando 41 dias na Pacific Crest Trail, como segue:

  1. 652 mi (Walker Pass) a 654 mi (Owens Peak Wilderness)
  2. 654 mi (Owens Peak Wilderness) a 663 mi (Joshua Tree Spring)
  3. 663 mi (Joshua Tree Spring) a 669 mi (Spanish Needle Creek)
  4. 669 mi (Spanish Needle Creek) a 681 mi (Chimney Creek)
  5. 681 mi (Chimney Creek) a 694 mi (Manter Creek)
  6. 694 mi (Manter Creek) a 702 mi (Sherman Pass Road – Kennedy Meadows)

Abaixo, segue mapa com os pontos onde dormimos.

Dia 36: 652 mi (Walker Pass) a 654 mi (Owens Peak Wilderness)

Total
Passamos por
3 km
Owens Peak Wilderness

Normalmente, caminhamos muito pouco no primeiro dia de cada trecho. Nossa estratégia é carregar água e comida extras para passar a primeira noite e acampar no primeiro lugar que encontrarmos.

Neste dia caminhamos somente 1 hora e montamos nossa barraca. Passaram 3 hikers depois de nós.

O lugar que acampamos nos proporcionou um belo pôr de Sol, frio e vento durante a noite.

Pôr do Sol visto ao lado de nossa barraca

Clique aqui para voltar ao início do post.

Dia 37: 654 mi (Owens Peak Wilderness) a 663 mi (Joshua Tree Spring)

Total
Passamos por
16 km
Owens Peak Wilderness

Acordamos a tempo de apreciar o nascer do Sol e seguimos às 7h30min nossa caminhada. Seguimos com a mesma paisagem durante o dia, subindo e descendo as montanhas do Owens Peak Wilderness.

Owens Peak Wilderness

Neste dia passaram por nós cerca de 6 hikers.

Na descida encontramos um córrego próximo ao Joshua Tree Spring. Ficamos por lá, juntos com vários mosquitos.

Clique aqui para voltar ao início do post.

Dia 38: 663 mi (Joshua Tree Spring) a 669 mi (Spanish Needle Creek)

Total
Passamos por
11 km
Owens Peak Wilderness

Continuamos no Owens Peak Wilderness. Com a estratégia de dormimos onde há água e não caminharmos mais que 13 milhas por dia, ficamos no próximo riacho que encontramos, o Spanish Needle Creek.

Paisagem de montanha semelhante aos dias anteriores. Neste dia re-encontramos um americano que havíamos cruzado anteriormente perto do Mount Baden Powell, seu trail name é Quarter e era a quarta vez que estava na PCT. Já imaginávamos que começaríamos a rever várias pessoas que encontramos antes.

Em nosso acampamento havia vários lugares para mais barracas, mas somente nós dormimos por lá.

Clique aqui para voltar ao início do post.

Dia 39: 669 mi (Spanish Needle Creek) a 681 mi (Chimney Creek)

Total
Passamos por
19 km
Chimney Peak Wilderness
Owens Peak Wilderness

Subimos e descemos um morro, saindo de Owens Peak Wilderness e entrando no Chimney Peak Wilderness.

paisagens similares aos dias anteriores

Encontramos o riacho Chimney Creek com uma área de camping ao lado, onde ficamos.

Neste dia conversamos bastante com um casal sênior canadense, que estavam indo para a casa através da PCT.

Estávamos a 21 milhas (cerca de 34 km) do Kennedy Meadows, o que o torna um ponto estratégico para os thru-hikers, aqueles que precisam caminhar 20 milhas por dia para conseguirem caminhar toda a PCT de uma vez. No dia seguinte eles iriam caminhar até Kennedy Meadows.

Nesta noite tivemos a companhia de várias outras barracas.

Clique aqui para voltar ao início do post.

Dia 40: 681 mi (Chimney Creek) a 694 mi (Manter Creek)

Total
Passamos por
21 km
Chimney Peak Wilderness
Domeland Wilderness

Subimos a montanha, e depois de uma hora de caminhada passamos por um ponto de água. O próximo ponto seria somente no final do dia.

Antes de começarmos a descer, tivemos contato visual com as montanhas nevadas da Sierra Nevada. Estávamos nos aproximando de nosso objetivo nos Estados Unidos.

vista de montanhas levemente nevadas

Na descida passamos por uma área queimada, e com isso, sem nenhuma sombra. Não estávamos sofrendo de calor como no Sul da Califórnia, mas mesmo assim estava bem quente.

Descemos até encontrarmos o riacho Manter Creek, onde havia um bom local de acampamento. Uns dez thru-hikers passaram por lá para se abastecerem, alguns muito fedidos, mas apenas dois ficaram para acampar junto conosco.

Clique aqui para voltar ao início do post.

Dia 41: 694 mi (Manter Creek) a 702 mi (Sherman Pass Road – Kennedy Meadows)

Total 13 km

Subimos levemente um morro para depois descermos. No caminho passamos ao lado do rio South Fork Kern, um dos primeiros rios que vimos por aqui. Sinal que o deserto estava ficando para trás.

South Fork Kern river

Mais um pouco de caminhada e avistamos as primeiras casas. Ao chegarmos em uma estrada asfaltada, saímos da trilha, viramos à direita e fomos até Kennedy Meadows General Store, que fica a ½ milha da trilha.

Kennedy Meadows é uma parada clássica da Pacific Crest Trail. Significa o fim do deserto e o início de Sierra Nevada. Ao chegarmos, ficamos um pouco decepcionados, para ter um dia de internet deveríamos desembolsar US$ 10.

A princípio acreditávamos que Kennedy Meadows seria um bom lugar para descansar e ter um dia de folga. Mas desistimos desta ideia. Sem internet, é melhor ficar na trilha mesmo. De qualquer modo, teríamos que ir até Kennedy Meadows para pegar dois Bear Cannisters cheios de comida, que havíamos despachado no início da viagem. Bear Cannisters são recipientes para armazenamento de comida à prova de ursos, e seu uso é obrigatório em Sierra Nevada.

Depois descobrimos que um carro levava os hikers até outro restaurante, o Grumpy Bear. Esperançosos em encontrar Wi-Fi free, fomos até Grumpy Bear. Mas cometemos um erro, deixamos nossas mochilas em Kennedy Meadows General Store. Para nossa decepção o Grumpy Bear também cobra o mesmo preço pelo uso da internet.

Sem muitas opções, comemos um hambúrguer e depois fomos conhecer uma loja de equipamentos ao lado do restaurante. E para nossa supresa havia internet grátis. Além da loja ser realmente muito boa. Se nossas mochilas estivessem conosco, teríamos ficado por lá mesmo. Conhecemos a loja, navegamos um pouco na internet e tentamos ir embora. Ficamos mais de duas horas esperando alguém nos levar de volta para Kennedy Meadows. Chegamos ao meio-dia em Kennedy Meadows e às 19 horas nem banho havíamos tomado. Sem dúvidas, Grumpy Bear foi uma furada.

Às 19 horas conseguimos uma carona com uma mulher, que acomodou 6 hikers mais ela, dentro de seu humilde e colorido carro. Uma verdadeira trail angel. 😇

Clique aqui para voltar ao início do post.

Dicas

  • Dicas gerais da Pacific Crest Trail estão no post principal “Pacific Crest Trail – nosso pedacinho deste longo caminho“.
  • Em Kennedy Meadows há um pequeno mercado e é possível se abastecer nele para a próxima etapa.
  • Se estiver em baixa temporada e quiser ir do Kennedy Meadows General Store até o restaurante Grumpy Bear, tenha em mente que a carona de retorno até a General Store pode demorar.
  • Se precisar de equipamentos, vale muito a pena ir na loja ao lado do Grumpy Bear.

Clique aqui para voltar ao início do post.

Custos

Seguem alguns custos em dólares americanos (USD) e equivalentes em reais (BRL), conforme o câmbio que fizemos.
Hospedagem

  • Hospedagem em Big Bear, The Robinhood Resort, em Big Bear, diária casal: $USD 65 ($BRL 260)
  • Hospedagem em Bakersfield, Econolodge Inn, diária casal: $USD 43 ($BRL 171)

Alimentação

  • Restaurante, Teddy Bear, em Big Bear, 2 pratos com salmão, batatas, salada e refrigerante: $USD 40 ($BRL 160)
  • Mercado em Bakersfield, mercado Target, comida para trilha, média individual diária: $USD 6 ($BRL 26)

Transporte

  • Ônibus de Big Bear até San Bernadino, individual: $USD 12 ($BRL 46)
  • Trem de San Bernadino a Los Angeles, individual: $USD 10 ($BRL 40)
  • Ônibus de Los Angeles até Bakersfield, individual: $USD 31 ($BRL 122)
  • Ônibus de Bakersfield até Lake Isabela, individual: $USD 3 ($BRL 12)
  • Ônibus de Lake Isabela até Walker Pass, individual: $USD 3 ($BRL 12)

Correio

  • Restaurante, Teddy Bear, em Big Bear, 2 pratos com salmão, batatas, salada e refrigerante: $USD 40 ($BRL 160)
  • Estoque de caixas do Correio, Kennedy Meadows, taxa de armazenamento, custo para cada Bear Cannister: $USD 6 ($BRL 26)

Clique aqui para voltar ao início do post.

Dados sabáticos

3367 km trilhados
72 cidades
5 países
2 anos

Clique aqui para voltar ao início do post.

Quer mais?

Nós, Paula Yamamura e Ramon Quevedo, estamos curtindo uma vida sabática desde 2017, focando no que mais gostamos de fazer: viajar trilhando.

Nos acompanhe também em: