Brasil, Rio de Janeiro, Sabático

ILHA GRANDE – uma volta no paraíso

Após nossa primeira viagem sabática na Serra da Mantiqueira, fomos rumo ao Parque Estadual da Ilha Grande, que era um projeto antigo nosso. Nunca tínhamos ido até então, pois o objetivo era dar a volta na Ilha e é necessário no mínimo uma semana para realizá-la. Tem maluco que faz a volta em 5 dias, nós fizemos em 14 dias. Mas no final eu incluiria mais uns 4 dias para conseguir explorar mais a grande Ilha Grande.

No relato abaixo avaliamos a dificuldade de cada dia. Vale observar que a dificuldade sempre irá depender do condicionamento físico de cada um. Para você ter uma ideia de trilhas que consideramos mais pesadas, veja as trilhas: Marins a Itaguaré na Serra da Mantiqueira, Nahuel Huapi em Bariloche e a Cordilheira de Huayhuash no Peru.

Segue também o mapa das trilhas oficiais da Ilha.

mapa-trilhas_Ilha_Grande
fonte: http://www.ilhagrande.com.br

Como chegamos

Saindo da Rodoviária Tietê em São Paulo, pegamos um ônibus da empresa Reunidas às 22h00, chegando às 6h30min do dia seguinte em Angra dos Reis.

Da rodoviária de Angra andamos 15 minutos até o cais e compramos um translado de Flex Boat para Abraão. Foram 40 minutos de navegação com muito vento na cara. Lembre de levar um corta-vento ou um agasalho para não sofrer com o frio.

Dia 1: Abraão – Saco do Céu

Passamos por:

  • Enseada do Abraão (Abraão, Preta, ruínas de Lazareto, Aqueduto)
  • Enseada das Estrelas (Feiticeira, Iguaçú, Camiranga, Perequê, Saco do Céu)

Saímos do Flex Boat e como estávamos ansiosos para começar nossa voltinha, nem paramos na Vila de Abraão e fomos direto para a trilha.

20170716_09165_Ilha_Grande_ Abraão
Indo para a trilha na vila de Abraão

Quase que a totalidade das trilhas na Ilha são bem demarcadas e protegidas do Sol. Bem perto da Vila de Abraão é possível fazer uma trilha denominada T1, bem fácil, onde há uma cachoeira conhecida como Poção, que fica ao lado do Aqueduto.

2017 07 16 _ 10 25 53_Ilha_Grande_aqueduto
Aqueduto

Mais duas horas de caminhada e chegamos na Cachoeira da Feiticeira. Era um domingo de julho e haviam 27 pessoas na cachoeira. Tem uma queda d’água e dois bolsões de água. Também era possível fazer rapel com um instrutor.

2017 07 16 _ 12 09 30_Ilha_Grande_cachoeira feiticeira
Cachoeira da Feiticeira

Caminhando mais 20 minutos, fomos para a praia da Feiticeira.  É uma praia de parada para barcos, então havia ambulantes vendendo cerveja, refrigerante e água de coco.

20170716_130808_Ilha_Grande_feiticeira
praia da Feiticeira

Voltamos pela mesma trilha e antes do acesso à cachoeira pegamos outra trilha à direita. Fomos até uma bifurcação e demos um pulo à praia do Iguaçú. Praia vazia, sem restaurantes ou ambulantes.

20170716_144209_Ilha_Grande_Iguaçú
praia do Iguaçú

Voltamos para trilha novamente, e passamos pela praia de Camiranga. A partir desta praia a caminhada segue mais plana.

20170716_153829_Ilha_Grande_Camiranga
praia da Camiranga

Continuamos passando pela praia do Perequê e até chegar no Saco do Céu.

2017 07 16 _ 15 51 50_Ilha_Grande_praia do pereque
praia de Perequê

No Saco do Céu encontramos a Pousada Camping Gata Russa, onde passamos a noite. Não tinha sinal de celular, mas a pousada disponibilizou Wi-Fi e banho quente. Bom camping. Foi o único camping que encontramos naquele trecho.

20170717_062734_Ilha_Grande_ saco do ceu
Saco do Céu

Seguem mais detalhes do dia:

dia 16
Elevação do dia 1, na Ilha Grande (Rio de Janeiro)
Resumo do dia 1
Total percorrido
Tempo
Subida acumulada
Descida acumulada
Altitude máxima
Dificuldade
11,8 km
5h20min
626 metros
638 metros
214 metros
Leve

Dia 2: Saco do Céu – Bananal

Passamos por:

  • Saco do Céu
  • praia do Funil
  • praia de Japariz
  • praia Freguesia de Santana
  • Enseada do Bananal (Baleia, Lagoa Azul, Baixo, Bananal)

Saímos do Saco do Céu e depois de 1 hora de caminhada chegamos em uma mini praia ao lado de um campo de futebol, chamada praia do Funil, um charme.

20170717_110305_Ilha_Grande_ praia do funil
praia do Funil

A trilha segue pela encosta e logo em seguida estávamos na praia de Japariz lotada de restaurantes.

20170717_115225_Ilha_Grande_Japariz
Japariz

Mais 1 hora de caminhada e chegamos na praia Freguesia de Santana, onde havia um ambulante vendendo cerveja gelada. Ao lado da Freguesia há a praia da Baleia, que fica bem perto da Lagoa Azul. Tinha uma trilha subindo o morrinho da praia da Baleia. Como estávamos descalços, desistimos no meio do caminho. Quem souber onde dará essa trilha nos fale.

20170717_141923_Ilha_Grande_Baleia
praia da Baleia
20170717_135510_Ilha_Grande_Lagoa Azul
Lagoa Azul

Depois seguimos a trilha, passando pela praia de Baixo.

20170717_150559_Ilha_Grande_ de baixo
Praia de Baixo

E pela praia de Bananal Pequeno.

20170717_155317_Ilha_Grande_ bananal pequeno
praia do Bananal Pequeno

Chegamos em Bananal e começamos a procurar algum camping. Descobrimos que nessa praia há somente pousadas. Há várias opções de pousadas com café, almoço e jantar inclusos e muitos descendentes de japoneses por lá.

20170717_172652_Ilha_Grande_Bananal
Pôr do Sol na praia do Bananal

Com uma cargueira nas costas não demorou muito para perguntarem se queríamos ficar no quintal da casa do Juca, que aceitamos sem pestanejar.

Elevação do dia 1, na Ilha Grande (Rio de Janeiro)
Elevação do dia 2, na Ilha Grande (Rio de Janeiro)
Resumo do dia 2
Total percorrido
Tempo
Subida acumulada
Descida acumulada
Altitude máxima
Dificuldade
10 km
4h20min
604 metros
598 metros
129 metros
Moderada Leve

Dia 3: Bananal

Nesse dia chegou uma massa polar no Sudeste Brasileiro e com isso veio a chuva. Começou a chover logo cedo e decidimos ficar em Bananal mesmo. Não tinha muito o que fazer.

Em Bananal não tem muita opção fora das pousadas. Tem uma casa denominada de ‘padaria‘ onde os locais compram pães, mas não conseguimos comprar pois teríamos que encomendar antes. Nessa casa também tem uma mercearia, onde é possível comprar algum biscoito.

Ainda bem que temos alguns filmes no celular para passar o tempo.

Também aproveitamos para ficar conversando com um casal japonês que tem uma lanchonete em Bananal, a única opção de refeição. Comemos X-Tudo e pastéis. Pena que não fomos para lá duas semanas antes, pois teve um festival de comida japonesa nessa praia.

Dia 4: Bananal – Maguariqueçaba

Passamos por:

  • Enseada do Bananal (Bananal, Matariz, Jaconema)
  • Enseada do Sítio Forte (Passaterra, Maguariqueçaba)

Saímos de Bananal em direção ao Sítio Forte. Passamos pela praia de Maratriz onde haviam um barzinho, casa de saúde, igreja, casa de moradores e uma fábrica de sardinha desativada.

20170719_113411_Ilha_Grande_Matariz
praia de Maratriz

Seguimos a trilha e decidimos ir até a praia de Jaconema. Praticamente todas as trilhas tem o solo bem demarcado e algumas placas para orientação. Infelizmente as placas estão mal conservadas e em muitos lugares tem só a madeira.

20170719_114827_Ilha_Grande_placas
trilha

Na praia de Jaconema, fica a pousada Nautilus, especializada em mergulhos autônomos.

20170719_120458_Ilha_Grande_Jaconema
praia da Jaconema

Seguimos até o saco do Sítio Forte, passamos pela praia Passaterra onde há a pousada Maria Bonita.

20170719_133155_Ilha_Grande_ passa terra
praia de Passaterra e pousada Maria Bonita ao fundo

E fomos para a segunda praia, Maguariqueçaba onde almojantamos.

20170720_062853 manguaraquissaba
praia de Maguariqueçaba

Com a permissão da simpática Dalva, dona do bar, montamos nossa barraca por lá, com direito a banho quente na casa dela. Não encontramos campings nesse trecho da ilha.

dia 19
Elevação do dia 4, na Ilha Grande (Rio de Janeiro)
Resumo do dia 4
Total percorrido
Tempo
Subida acumulada
Descida acumulada
Altitude máxima
Dificuldade
4,5 km
2 horas
276 metros
268 metros
113 metros
Leve

Dia 5: Maguariqueçaba – Araçatiba

Passamos por:

  • praia de Maguariqueçaba
  • praia de Tapera
  • praia de Ubatubinha
  • praia da Longa
  • Enseada de Araçatiba (Cachoeira, Araçatiba)

Nesse dia passamos pela praia de Tapera, onde há uma fazenda e parece que tem uma cachoeira por lá. Mas não fomos.

20170720_095707 praia de tapera
praia de Tapera

No total foram cerca de 4 horas de caminhada, passando por algumas praias.

20170720_104526 Ubatubinha
praia de Ubatubinha
20170720_114904 praia longa
praia da Longa
20170720_130801 praia da cachoeirinha
praia da Cachoeira

Chegamos na praia grande de Araçatiba, onde há uma comunidade grande, com restaurantes, pousadas, mercados e casa de saúde. Ficamos sabendo que há dois campings em Araçatiba, ficamos hospedamos no Camping Bem Natural.

20170720_172350_DRO Araçatiba
praia Grande de Araçatiba

Araçatiba é uma praia privilegiada para ver o crepúsculo, tanto no nascer quanto no pôr do Sol.

20170720_173138 por do sol em Araçatiba
Pôr do Sol em Araçatiba
dia 20
Elevação do dia 5, na Ilha Grande (Rio de Janeiro)
Resumo do dia 5
Total percorrido
Tempo
Subida acumulada
Descida acumulada
Altitude máxima
Dificuldade
9,9 km
4 horas
562 metros
532 metros
162 metros
Moderada Leve

Opcional: Araçatiba – praia Vermelha – Gruta de Acaiá – Araçatiba

Optamos por não ir até a Gruta de Acaiá, pois já conhecemos tanto a praia Vermelha como a Gruta em outras ocasiões. Mas fica a opção para quem quiser adicionar mais um dia na viagem

Dia 6: Araçatiba – Pedra do Urubu – Lagoa Verde – Longa – Araçatiba

Hoje foi um dia para lavar a roupa e deixá-la secando. Ficamos no mesmo acampamento. O detalhe deste camping é que 151 degraus separam a entrada da recepção.

Aproveitamos o dia para ir até o Mirante da Lagoa Verde, também conhecida com Pedra do Urubu, onde tem uma vista da Lagoa Verde e da enseada de Araçatiba. A saída para a trilha da Pedra do Urubu fica no meio do caminho entre a praia da Longa e Araçatiba.

20170721_105614 Lagoa Verde pico do Urubu
Vista da Lagoa verde na Pedra do Urubu

Está mais para Pedra do Urubu que mirante. A trilha é curta, mas é chatinha e escorregadiiiaaaaaaa. Se você não se importar de cair, pode ir, que você conseguirá ver a Lagoa Verde e a Enseada de Araçatiba.

20170721_111812 Araçatiba pico do Urubu
Vista de Araçatiba na pedra do Urubu

Voltando para a trilha que liga Araçatiba à praia da Longa, vimos uma placa meio tosca no meio da trilha, quase caindo pendurada em uma árvore, escrito Lagoa Verde. Olhamos um para cara do outro: “Vamos?”. E não é que a trilha deu mesmo na Lagoa Verde? A maioria dos turistas vai para a Lagoa em lanchas, mas a trilha é bem tranquila também.

20170721_124918 Lagoa Verde
Lagoa Verde

Como ainda era cedo decidimos ir até a Praia da Longa para conhecer uma tal de Cachoeira da praia da Longa. Mas na verdade era quase um rio (pelo menos o que vimos), nem valeu tirar foto.

No final do dia voltamos para Araçatiba.

dia 21
Elevação do dia 6, na Ilha Grande (Rio de Janeiro)
Resumo do dia 6
Total percorrido
Tempo
Subida acumulada
Descida acumulada
Altitude máxima
Dificuldade
10,3 km
4h50min
599 metros
597 metros
180 metros
Moderada

Dia 7: Araçatiba – Provetá – Aventureiro

No sétimo dia o destino final foi a praia do Aventureiro. Para isso andamos 1h50min até a praia de Provetá, em uma trilha bem demarcada, passando pela praia de Araçatibinha.

20170722_090430 araçatibinha
praia de Araçatibinha

Em Provetá há uma comunidade grande de moradores e tem até asfalto nas ruas. Mas não tem sinal de celular. Foi lá que nos abastecemos de comida para seguir viagem. Depois de Provetá só encontramos mercados novamente em Abraão. Então Provetá é parada obrigatória para abastecimento.

20170722_103551 Provetá
Indo para praia de Provetá

De Provetá até Aventureiro a trilha tem uma subida de 1h20. Assim que acaba a subida tem um banquinho pra descansar, antes de começar a descer. Mais 40 minutos de descida e chegamos no Aventureiro.

Teoricamente é preciso se cadastrar na Turisangra, ainda em Angra dos Reis, para ir até a praia de Aventureiro; pois essa praia faz parte da Reserva Biológica Estadual da Praia do Sul. Ficamos sabendo dessa autorização quando já estávamos na Ilha, e na prática não tivemos nenhum problema em seguir sem esse cadastro.

Existe um conflito de legislações, pois teoricamente não deveriam existir moradores na Reserva, mas os moradores da praia do Aventureiro estão lá antes da criação da Reserva. Observando as demais praias não habitadas da Reserva, a praia do Aventureiro está bem mais cuidada. Então os moradores devem estar fazendo mais bem do que mal para a natureza….

Ficamos no camping do Luis por R$25,00 pessoa. Sem sinal de celular e sem eletricidade, mas com gerador e chuveiro quente. Tem cardápio para café da manhã e refeição. Foi o camping mais lotado da viagem e com isso tem mais barulho à noite. E para completar haviam crianças cheias de energia….

20170723_071416 Aventureiro
praia de Aventureiro
dia 22
Elevação do dia 7, na Ilha Grande (Rio de Janeiro)
Resumo do dia 7
Total percorrido
Tempo
Subida acumulada
Descida acumulada
Altitude máxima
Dificuldade
8,1 km
3h50min
678 metros
700 metros
351 metros
Moderada Leve

Dia 8: Aventureiro – Demo – Sul – Leste – Parnaioca

Decidimos seguir da praia de Aventureiro até Parnaioca caminhando pelas praias do Demo, do Sul e do Leste.

Saindo da praia de Aventureiro, em dez minutos chega-se na pequena praia do Demo.

20170723_104309 Demo
praia do Demo

Saindo da praia do Demo, é necessário percorrer um trecho de 30 minutos de trilha para chegar na praia do Sul, que tem uma grande extensão de areia fofa. Nesse ponto não há trilha e o percurso terá que ser feito na praia embaixo de Sol, demoramos cerca de 45 minutos para atravessá-la. Observe quantas pegadas tem na praia.

20170723_111122-praia do sul
praia do Sul

Saindo da praia do Sul, são 15 minutos de uma pequena trilha para chegar na praia do Leste. Nessa praia há um riozinho que desemboca no mar, então é possível tomar um banho de água doce. Praia extensa que atravessamos caminhando na areia fofa, embaixo de Sol, em 35 minutos. O fato de andar embaixo de sol na areia, tornou a trilha um pouco mais difícil.

20170723_134526 Leste
Rio desembocando no mar da praia do Leste

Como essas praias também fazem parte da Reserva Biológica Estadual da Praia do Sul, e os barcos não chegam nelas, esse trecho é pouco frequentado. O objetivo seria que essas praias fossem intocadas pelo homem, mas praticamente todos que estão em Aventureiro, vão até essas praias passar o dia. Como as praias do Sul e do Leste são muito grandes, é impossível lotá-las.

Infelizmente havia muito lixo trazido pelo mar, em alguns cantos das praias. Ironicamente, como não tem ninguém para cuidá-las, as praias do Sul e do Leste, que deveriam ser intocadas, foram as praias onde vi mais lixo acumulado na Ilha. Mas mesmo assim continuam belas.

Saindo da praia do Leste há uma trilha para chegar até a praia de Parnaioca. É uma trilha bem demarcada de 1h30min. Apesar disso nos perdemos no começo, pois não vimos uma subida que deveríamos ter virado. Mas se você ver que a trilha está fechando muito, dê meia volta e tente encontrar essa subida e não terá mais erros.

Logo na primeira entrada da praia de Parnaioca encontramos a propaganda do Camping do Sílvio e por lá ficamos. Depois vimos que há no total 3 campings em Parnaioca.

20170724_110012 Parnaioca
praia de Parnaioca

Com o sinal da Sky, tivemos Wi-Fi. Mas não tem sinal de celular e nem eletricidade. O gerador foi desligado às 21h00. Esse foi o único lugar da Ilha que tivemos que tomar banho frio. Mas em geral, é um bom camping.

dia 23
Elevação do dia 8, na Ilha Grande (Rio de Janeiro)
Resumo do dia 8
Total percorrido
Tempo
Subida acumulada
Descida acumulada
Altitude máxima
Dificuldade
9,1 km
3h50min
313 metros
300 metros
124 metros
Moderada

Dia 9: Parnaioca – Dois Rios

Esse dia era o dia mais duvidoso da nossa viagem, pois queríamos fazer uma volta na Ilha sem ter que ficar retornando o mesmo trajeto. Tínhamos quatro opções:

  1. Panaioca até Abraão: nosso trajeto ficaria com muito vai-e-vém.
  2. Parnaioca até Palmas: seria muito cansativo.
  3. Parnaioca até Caxadaço: não há Camping em Caxadaço e não é permitido acampamentos selvagens.
  4. Parnaioca até Dois Rios: em Dois Rios há uma comunidade, mas não são permitidas pousadas ou campings. Como a maioria dos moradores são funcionários da Universidade Estadual do Rio de Janeiro, e moram em propriedades da UERJ eles não podem ganhar dinheiro hospedando turistas. E exite fiscalização por lá, expulsando quem tentar acampar.

No camping do Sr Silvio, tivemos a indicação de procurar um morador de Dois Rios para conseguir pernoitar por lá. E decidimos tentar a opção 4.

Antes de partir visitamos a cachoeira que fica ao lado da praia de Parnaioca. Muito agradável, vale a pena. Tinham pessoas pescando pitu por lá.

20170724_102539 rio cachoeira parnaioca
Cachoeira de Parnaioca

Seguimos a trilha que leva até Dois Rios. É uma trilha bem demarcada de aproximadamente 3 horas e protegida do Sol. É um sobe, desce, sobe e desce; passando pela toca das Cinzas e por alguns rios.

20170724_151719 toca das cinzas
Toca das Cinzas

Dois Rios abrigou o extinto presídio Cândido Mendes e chegando lá fomos atrás da indicação que tivemos para tentarmos nos hospedar. Sem alguma indicação será mais difícil encontrar uma hospedagem. Não há sinal de celular.

Conseguimos nos hospedar por lá e também fizemos uma refeição no restaurante da Dona Tereza. Teoricamente o morador não pode cobrar a pernoite de turistas, e ele não cobrou; mas ‘pagamos um café’ para ele.

Depois de ter vivido a experiência, eu não recomendo passar a noite em Dois Rios. Agradeço a hospitalidade do morador, mas como não é possível montar a barraca no quintal dele, tivemos que dormir dentro da casa, e a casa não estava preparada para receber visitas…

Melhor seguir com as outras opções que citei acima.

Elevação do dia 9, na Ilha Grande (Rio de Janeiro)
Elevação do dia 9, na Ilha Grande (Rio de Janeiro)
Resumo do dia 9
Total percorrido
Tempo
Subida acumulada
Descida acumulada
Altitude máxima
Dificuldade
8,3 km
3 horas
434 metros
427 metros
177 metros
Moderada Leve

Dia 10: Dois Rios – Palmas

Passamos por:

  • Dois Rios
  • praia de Caxadaço
  • praia de Santo Antônio
  • Enseada de Palmas (Pouso, Mangues, Palmas)

Acordamos cedo para tirar foto da linda praia de Dois Rios. É uma praia razoavelmente extensa, no final da praia há um lago de água doce, onde acaba encontrando o mar. Devido ao mar aberto, não chegam embarcações por lá, então a praia é bem tranquila.

20170725_064743 Dois Rios
praia de Dois Rios

De Dois Rios pegamos uma trilha de 1h30min para chegarmos até a praia de Caxadaço. É uma trilha um pouco fechada, mas prestando atenção dá pra ir sem se perder.

Em Caxadaço vimos lugares pra acampamento selvagem com um rio desembocando no mar. Lugar muito agradável. É uma praia bem pequena e quando chegamos estava vazia. Mas após 10 minutos tivemos que dividir nossa alegria com umas 5 lanchas lotadas de turistas.

20170725_102848 Caxadaço
praia de Caxadaço

A trilha de Caxadaço para a praia de Santo Antônio, demora cerca de 2 horas. Mas ficamos cerca de 40 minutos perdidos no início. Uma árvore caída nos confundiu. Depois ficou mais tranquilo, e vimos algumas marcações de fitas em árvores para ajudar. Segundo o guia local João, a trilha é mais confusa no sentido inverso.

Santo Antônio é uma praia pequena bem bacana. Como não chegam barcos na praia, há menos turistas, pois todos que chegam tem que caminhar um pouco.

20170725_134759 Santo Antonio
praia de Santo Antônio

O lugar mais próximo da praia de Santo Antônio, onde chegam turistas por barco, fica a 30 minutos a pé, na praia do Pouso.

20170727_150205 pouso
praia de Pouso

Colado em Pouso, passamos pela praia de Mangues.

20170727_151200 mangue
praia de Mangues

Da praia de Pouso até a praia de Palmas são 40 minutos de caminhada. Palmas é um lugar estratégico para ficar, é uma praia extensa onde há campings, restaurantes e acesso para várias praias. Ficamos em Palmas por três noites.

20170726_061824 Palmas
praia de Palmas

Em Palmas nos hospedamos no camping mais barato da Ilha que encontramos, por R$ 15,00 a diária e com boa infraestrutura. Mas para compensar o pão francês, que na verdade é um mini pão, da padaria em Palmas, custa R$0,80.

Elevação do dia 10, na Ilha Grande (Rio de Janeiro)
Elevação do dia 10, na Ilha Grande (Rio de Janeiro)
Resumo do dia 10
Total percorrido
Tempo
Subida acumulada
Descida acumulada
Altitude máxima
Dificuldade
10,2 km
4h30min
669 metros
699 metros
140 metros
Moderada Leve

Dia 11: Palmas – Aroeira – Castelhanos – Palmas 

O objetivo desse dia era ir até o Farol de Castelhanos.

Após 1h15min, chegamos na praia da Aroeira, passando por Itaóca, onde seguimos em direção ao Farol.

Importante não seguir pela trilha que começa na praia de Aroeiras, apesar de ter uma placa por lá. Ignore a placa, volte pela trilha que estava e continue a caminhada.

Mais 1h30min de caminhada há a praia de Castelhanos. Onde paramos para comer um lanche. Mas cadê o lanche? Esquecemos o lanche… Desanimados, cansados e com fome, decidimos não prosseguir até o Farol e voltar.

A praia de Castelhanos é bem pequena e tem muito lixo, talvez seja sujeira que a maré traz e também um pouco dos moradores locais. Pelo esforço não vale a pena ir até lá.

20170726_132449 castelhanos
praia de Castelhanos
dia 26 Ilha Grande
Elevação do dia 11, na Ilha Grande (Rio de Janeiro)
Resumo do dia 11
Total percorrido
Tempo
Subida acumulada
Descida acumulada
Altitude máxima
Dificuldade
14,9 km
5h30min
988 metros
955 metros
122 metros
Moderada Leve

Dia 12: Palmas – Lopes Mendes – Palmas

Tiramos um dia para conhecer a famosa praia de Lopes Mendes. De Palmas até Lopes Mendes é uma hora de caminhada.

É uma praia com 3 km de extensão, que leva quase uma hora para ser percorrida de uma ponta à outra. Tem árvores fazendo sombra em quase toda a praia. No meio da praia há uma boia gigante que se desprendeu de um navio e encalhou na praia. Acabou virando uma obra de arte e ícone da praia de Lopes Mendes.

20170727_122435 lopes Mendes
praia de Lopes Mendes

Se precisar de água, no final da praia há uma casa de morador e uma bica com água doce.

dia 27 Ilha Grande
Elevação do dia 12, na Ilha Grande (Rio de Janeiro)
Resumo do dia 12
Total percorrido
Tempo
Subida acumulada
Descida acumulada
Altitude máxima
Dificuldade
11,6 km
4h30min
492 metros
466 metros
90 metros
Leve

Dia 13: Palmas – Abraão

Passamos por:

  • Enseada de Palmas (Palmas, Brava)
  • Enseada do Abraão (Júlia, Bica, Comprida, Crena, Abraãozinho, Abraão)

Falta mais um pouquinho para completar a volta na Ilha Grande. Mas antes fomos dar uma olhada na praia vizinha à Palmas, a praia Brava. É uma praia bem pequena onde há somente um hotel, chamado Cabanas Paraíso.

20170728_102433 praiA brVa
praia Brava

De Palmas até Abraão levamos 1h10min de caminhada. É uma trilha com uma boa subida, protegida do Sol, e com várias pessoas andando.

Chegamos em Abraão e fomos conhecer as praias próximas.

A primeira praia é a praia da Júlia. Há somente uma casa nessa praia, que deve ser de um argentino que conhecemos bem no começo de nossa viagem. Ele aluga caiaques.

20170728_115838 praia da julia
praia da Júlia

São várias praias uma do lado da outra. Depois da Júlia, passamos pela praia da Biquinha.

20170728_143334 da biquinha
praia da Biquinha

Seguimos para agitada praia de Abraãozinho.

20170728_153308 abraazinho
praia do Abraãozinho

Na volta, desviamos um pouquinho e fomos conhecer a pequena praia do Sobrado completamente na sombra.

20170728_155503 praia do sobrado
praia do Sobrado

E passamos pela pequena praia Comprida para voltar à vila. Era final de tarde e a maré estava quase sumindo com a praia.

20170728_163010 praia comprida
praia Comprida

Chegando na praia de Abraão, podemos dizer que completamos a volta na Ilha.

🙂

Na praia de Abraão é possível avistar o pico do Papagaio, para onde fomos no dia seguinte. Pena que nublou.

20170728_164900 Abraão
praia do Abraão
dia 28 Ilha grande
Elevação de Palmas até Abraão, na Ilha Grande (Rio de Janeiro)

Nesse dia não levamos o GPS para conhecer as praias próximas de Abraão, mas inclui a distância e o tempo como adicional na tabela.

Resumo do dia 13
Total percorrido
Tempo
Subida acumulada
Descida acumulada
Altitude máxima
Dificuldade
4,5 km + 4,1 km
1h20min + 1hora
307 metros
315 metros
215 metros
Leve

Dia 14: Abraão – Pico do Papagaio – Abraão

Em nosso último dia na Ilha, fomos conhecer o Pico do Papagaio.

Depois de 30 minutos de caminhada pela estrada que liga Abraão à Dois Rios, há uma saída para a trilha do Pico. No total demoramos 2h40min para chegarmos no Pico do Papagaio. Trilha totalmente protegida do Sol e bem demarcada, inclusive com fitas nas árvores, com alguns obstáculos médios no meio do caminho, como árvores caídas. Alguns trechos tem um pouco de água, se necessário.

Mas tivemos azar, depois de vários dias seguidos de céu aberto, esse dia estava nublado. Ficamos umas 3 horas esperando uma oportunidade para tirar foto e veja o que deu para ver:

IlhaGrande _ 2017 07 29 _ 14 40 05 Pico do Papagaio
Pico do Papagaio nublado

Foi uma infelicidade. Diz a lenda que no Pico do Papagaio é possível avistar a Pedra da Gávea e o Dedo de Deus.

Resumo do dia 14
Total percorrido
Tempo
Subida acumulada
Descida acumulada
Altitude máxima
Dificuldade
11,1 km
5h10min
1.104 metros
1.104 metros
970 metros
Moderada Leve

Depois deste dia, dormimos mais uma noite em Abraão e voltamos para São Paulo no dia seguinte.

Cansados depois dos 128 km trilhados em Ilha Grande e felizes por completarmos 145 km nos dois trekkings sabáticos realizados até o momento.

Custos 

No total gastamos individualmente, cerca de R$ 1.120,00. O Ramon tomou bastante cerveja e comemos em restaurantes; então seria possível tornar mais econômica a viagem se tivéssemos preparado mais refeições por nós mesmos. Seguem alguns custos para vocês terem uma ideia:

Transporte: R$ 330,00/pessoa

  • Ônibus de São Paulo a Angra dos Reis: R$ 111,00
  • Barco de Angra dos Reis para Abraão: R$ 50,00
  • Barco de Abraão para Angra dos Reis: R$ 50,00
  • Ônibus Angra dos Reis para São Paulo: R$ 119,00

Bares e Restaurantes: R$ 303,00/ pessoa

  • Cerveja latinha: R$ 6,00 a R$  8,00
  • Cerveja latinha Heineken: R$ 10,00
  • Cerveja latão: R$ 10,00
  • Cerveja garrafa: R$ 12,00 a R$ 14,00
  • Água garrafinha: R$ 4,00
  • Refrigerante 600mL: R$ 8,00
  • X-tudo: R$ 9,00
  • Prato Feito: R$ 30,00. Somente em Abraão o PF é mais barato, chegando até R$ 13,00

Mercados: R$ 188,50/pessoa

  • Salgadinho Fandangos: R$ 3,50
  • Salgadinho Torcida: R$ 2,50
  • Biscoitos doces: R$ 2,75 a R$ 4,50
  • 1/4 Melancia: R$ 10,00
  • Queijo ralado: R$ 5.50
  • Pão francês: R$ 0.80
  • Pão de leite: R$ 1,00
  • Bolo: R$ 12,00
  • Água mineral 1,5L: R$ 4,00

Hospedagem: R$ 300/pessoa

  • Saco do Céu, camping Gata Russa: R$ 30,00 sem café da manhã ou R$ 50,00 com café da manhã.
  • Bananal, quintal da casa do Juca : R$ 25,00
  • Manguaraquissaba, quintal Dalva: por volta de R$ 10,00
  • Araçatiba, camping Bem Natural: R$ 40,00
  • Aventureiro, camping do Luis: R$ 25,00
  • Parnaioca, camping do Silvio: R$ 20,00
  • Dois Rios, casa morador: paga o que achar justo
  • Palmas, camping Palmas: R$ 15,00
  • Abraão, camping do Peixoto: R$ 20,00

Cotação Dólar Americano em 28/7/17: R$ 3,30

Resumo Volta Ilha Grande

  • Cidades próximas: Angra dos Reis (19 km), Rio de Janeiro (176 km) , São Paulo (415 km)
  • Início: Abraão
  • Fim: Abraão
  • Distância total: 128 km
  • Duração: 13 dias + 1 dia descanso
  • Pontos de água: nas vilas e alguns no meio do trilha
  • Elevação acumulada: subimos 7.652 metros e descemos 6.891 metros
  • Altitude máxima: 970 metros
  • Mapa da trilhaWikiloc
  • Dificuldade: Moderada. É necessário um bom condicionamento físico para realizar esse circuito.

Dicas

  • Leve um agasalho para o translado do continente à Ilha, venta muito e você acabará passando frio.
  • Usamos pouco repelente, mas no começo e no final do dia, sempre há um ataque de pernilongos.
  • Sempre levamos água suficiente para caminhada. Tem alguns pontos de água nas trilhas, mas são poucos. Melhor se garantir nas vilas.
  • É bom levar 1 rolo de papel higiênico. O camping do Luís da praia do Aventureiro e o camping do Peixoto no Abraão, por exemplo, não fornecem papel. Cada um leva o seu.
  • Tente comprar o máximo de comida no continente ou em Abraão. Dentro da ilha é tudo mais caro. Outro ponto para fazer mercado será em Provetá.
  • Os únicos lugares que encontramos frutas para comprar, foram em Abraão e Provetá. Se você faz questão de comer frutas e não quer pagar um café da manhã em alguma pousada, se planeje para comprá-las nessas duas comunidades.

Quer mais?

Quer saber se você tem preparo físico para fazer a volta na Ilha Grande? Tente fazer algumas dessas trilhas antes:

  • Parque Estadual do Pico do Jaraguá é uma boa opção para passar o dia e tem uma bela vista da cidade de São Paulo.
  •  A Serra do Lopo em Extrema/MG é uma opção mais simples com uma noite de acampamento. É uma boa sugestão para iniciantes.
  • Depois da Serra do Lopo, tente Pico da Onça em São Francisco Xavier, você irá passar uma noite no Pico e irá enfrentar um pouco de subida.
  • A travessia do Saco do Mamanguá e Juatinga em Paraty, é um trajeto com dificuldade parecida com a volta da Ilha Grande, mas com menos dias de caminhada.

Também acompanhe nosso dia-a-dia no Facebook e Instagram.

Fontes

http://www.ilhagrande.com.br/

http://www.ilhagrande.org/

http://instintoviajante.com/volta-completa-em-ilha-grande/

Anúncios

4 comentários em “ILHA GRANDE – uma volta no paraíso”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s