Califórnia, Estados Unidos

PACIFIC CREST TRAIL #2 – Tehachapi Pass (566 mi) a Hiker Town (518 mi)

Em 2019 decidimos fazer um pedacinho da Pacific Crest Trail, uma longa trilha de 4200 km, que percorre a costa oeste norte-americana, e vai do México ao Canadá. Esta trilha ficou popular após ser retratada no filme “Wild”.

O resumo desta caminhada está descrito no post principal “Pacific Crest Trail – nosso pedacinho deste longo caminho“.

Neste relato segue nossa caminhada, pelo Sul da Califórnia, sentido sul, de Tehachapi Pass até Hiker Town, passando por Tehachapi Mountains e aqueduto de Los Angeles.

Se quiser assistir como foi a trilha, veja o vídeo em nosso canal do YouTube:

Como chegamos

Depois de nosso primeiro trecho na PCT, fomos com uma carona, de Walker Pass até a cidade de Ridgecrest, onde ficamos alguns dias no Motel 6, o hotel mais barato que encontramos, por US$ 40 a diária.

Era feriado nos Estados Unidos e não haveria ônibus para nos levar para o Tehapachi Pass, onde iríamos retomar a PCT. Então fomos para o plano B: carona.

Um dia antes, Ramon publicou no grupo da PCT no Facebook, que precisávamos ir para a trilha e estaríamos na frente do Motel 6, pedindo carona. Ficamos 45 minutos segurando uma placa com os dizeres: “Tehachapi – PCT”. Foi o suficiente para um casal parar o carro e nos ajudar. Pelo que entendi deles, nosso inglês não é fluente, alguém avisou eles que hikers do PCT iriam precisar de carona. Eles nem iriam para Tehachapi, mas nos levaram mesmo assim. Os norte-americanos adoram os hikers!

Abastecimento

Para este trecho, compramos toda a comida no Walmart de Ridgecrest. Ridgecrest é uma cidade de porte médio com boa infraestrutura.

No final do trecho, em Hiker Town, há a possibilidade de comprar suprimentos. Há carros que fazem o translado gratuito por 6 km na estrada até um mercado. Não havia muitas opções de comida e é um pouco mais caro que o Walmart, mas deu para nos virar. Lá também tem uma lanchonete, para quem quiser comer um hambúrguer.

Outra opção em Hiker Town é enviar caixas de comida pelo correio.

Resumo do trekking

  • País: Estados Unidos
  • Estado: Califórnia
  • Cidades próximas: Bakersfield, Ridgecrest, Tehachapi, Lake Isabella, Lancaster
  • Início: Tehachapi Pass
  • Fim: Hiker Town
  • Distância total: 77 km
  • Duração: 5 dias
  • Subida acumulada: 1760 metros
  • Descida acumulada: 1535 metros
  • Altitude máxima: 1921 metros
  • Período do trekking: final de maio de 2019
  • Dificuldade: Moderada.

Roteiro

Fizemos o trekking em 4 noites e 5 dias, totalizando 13 dias na Pacific Crest Trail, como segue:

  1. 566 mi (Tehachapi Pass) a 556 mi (Tehachapi Mountains)
  2. 556 mi (Tehachapi Mountains) a 545 mi
  3. 545 mi a 542 mi (Tylerhorse Canyon)
  4. 542 mi (Tylerhorse Canyon) a 524 mi (Bob’s House)
  5. 524 mi (Bob’s House) a 518 mi (Hiker Town)

Dia 1: 566 mi (Tehachapi Pass) a 556 mi (Tehachapi Mountains)

Total percorrido
Tempo sem paradas
Subida acumulada
Descida acumulada
Altitude máxima
Dificuldade
16 km
4h30min
314 metros
559 metros
1451 metros
Moderada

Segue a elevação do dia 1.

Depois de uma semana chuvosa, fazia Sol na cidade. Estava uma temperatura agradável e sem ventos.

Mas foi só chegar na trilha, em Tehachapi Pass, que a ventania tomou conta. E não era para menos, estávamos em um gigante parque eólico.

Subimos um pouco a montanha com os eólicos sempre nos acompanhando.

Passamos por uma área de camping bem agradável e protegida por um trecho de bosque. Mas como queríamos avançar mais um pouco, ignoramos-a. Foi um erro. Não encontramos mais uma área de camping abrigada e tivemos que montar barraca na ventania.

acampando no Tehachapi Wind Farm

Foi uma noite infernal. Frio e vento. Os specs da barraca voaram duas vezes, para nosso profundo pesar.

Dia 2: 556 mi (Tehachapi Mountains) a 545 mi

Total percorrido
Tempo sem paradas
Subida acumulada
Descida acumulada
Altitude máxima
Dificuldade
18 km
5 horas
577 metros
583 metros
1921 metros
Moderada

Segue a elevação do dia 2.

Acordamos sem vento com um céu azul. Até que enfim, bom tempo na trilha!

Seguimos, deixando os eólicos para trás e subindo um pouco a montanha. O dia foi uma caminhada no deserto, com belas paisagens.

No caminho ainda encontramos um brasileiro, o Arthur, com quem tivemos contato nas redes sociais, e paramos um bom tempo para conversar.

Depois passamos por um local o que entendo que era uma “trail magic“. Cadeiras, guarda-sol e água. Foi o primeiro ponto de água desde o início do trecho.

Estávamos sentido sul, que é o contrário da maioria dos thru hikers, que caminham sentido norte. Cruzamos com 73 pessoas na trilha, o que foi algo muito interessante.

Depois do trail magic, vimos uma paisagem surpreendente do vale, com inúmeros eólicos, gigantes placas solares e uma cadeia montanhosa no horizonte.

paisagem no deserto da PCT

Depois da bela paisagem, começamos uma descida até um vale, onde acampamos, ao lado do que algum momento do ano deve correr um riacho. Mas… naquele dia estava completamente seco. Ainda bem que nos abastecemos de água no trail magic.

final do dia na Pacific Crest Trail

Dia 3: 545 mi a 542 mi (Tylerhorse Canyon)

Total percorrido
Tempo sem paradas
Subida acumulada
Descida acumulada
Altitude máxima
Dificuldade
5 km
1h20min
92 metros
180 metros
1560 metros
Leve Moderada

Segue a elevação do dia 3.

Haviam no total 4 barracas onde estávamos. Quando acordamos os thru hikers já tinham ido. Eles são os últimos a chegarem e os primeiros a sairem.

Subimos o morro com as mesmas paisagens se repetindo, e sempre belas.

Caminhamos 5 km e chegamos em um dos raros córregos de água deste trecho, no Tylerhorse Canyon. Encontramos uns 7 hikers se abastecendo de água.

água no Tylerhorse Canyon

Seguimos para o próximo ponto de água. No caminho paramos bem próximos de um eólico, e foi quando o Ramon percebeu que havia esquecido seu celular no acampamento da noite anterior.

Sem muitas alternativas colocamos as mochilas nas costas e voltamos. Eu fui até o córrego do Tylerhorse Canyon e já fui montando nossa barraca. Enquanto isso o Ramon voltou até o camping do dia anterior e depois voltou para o córrego.

Assim, evoluimos somente 5 km na Pacific Crest Trail neste dia.

O ponto positivo foi termos aproveitado a água e o Sol, para tomarmos banho e lavar roupa.

Ainda no camping, vimos mais dois brasileiros thru hikers, eram pernambucanos. Um deles era Felipe, o outro não lembro o nome.

Perdemos um pouco a conta, mas estimamos que cruzamos pelo menos 30 pessoas nesse dia.

um hiker que cruzamos na trilha

Dia 4: 542 mi (Tylerhorse Canyon) a 524 mi (Bob’s House)

Total percorrido
Tempo sem paradas
Subida acumulada
Descida acumulada
Altitude máxima
Dificuldade
29 km
4h30min
709 metros
159 metros
1521 metros
Moderada

Segue a elevação do dia 4.

Também passamos por:

  • aqueduto de Los Angeles

Saímos do camping subindo a colina ao lado do córrego.

No primeiro trecho passamos por mais um parque eólico e belas paisagens, até chegarmos na ponte do córrego Cottonwood Creek, onde coletamos água do aqueduto em uma torneira.

Aproveitamos a sombra da ponte para descansar, junto com outros dez hikers que já estavam tirando um cochilo por lá. A ideia era esperar o Sol abaixar para sair novamente.

Antes de seguirmos, completamos todas nossas garrafas de água, no total 9 litros, pois o próximo ponto de água ficava a quase 28 km, e iríamos pernoitar no caminho.

A partir deste ponto começamos a caminhar em cima de aquedutos, que mais parecia uma rua asfaltada. Os eólicos ficaram para trás e uma paisagem bucólica e monótona dominou o dia ensolarado, seco e sem ventos.

parque eólico

Quando começamos a reclamar da chatice, apareceu um americano, em um carro nos oferecendo cerveja gelada. Conversamos um pouco e ele nos ofereceu carona até a casa dele, nos adiantando um bom trecho deste pedaço chato da Pacific Crest Trail.

Acampamos debaixo de um gazebo no quintal do Bob. Ele comprou sanduíche e muitas cervejas para nós. Empolgado e bêbado, acendeu uma fogueira junto com um amigo. Ficamos nós quatro tentando manter um diálogo, quando percebi que o fogo tinha pulado para o gramado. Logo alertei o amigo do Bob, que falou para deixar queimar: “Let it burn…”.

Inconformada, avisei Ramon e Bob. Em segundos o fogo começou a se alastrar. Bêbado, o amigo de Bob foi cambaleando tentar reter o fogo com suas pisadas. Sem sucesso, Bob foi buscar uma pá. Até ele voltar, o fogo tinha quadriplicado sua área. Um pouco preguiçoso, Bob não conseguiu conter o fogo com a pá. Então ele foi buscar uma mangueira. Até ele voltar, o fogo havia aumentado mais um pouco. Já estava vendo eu pegar minha mochila e sair fugindo de um incêndio florestal. Tentamos regar a área, mas a torneira estava sem água. Bob foi verificar a bomba. Até que Ramon, único homem sóbrio, decidiu tomar conta da situação, pegou a pá e acabou com o fogo em alguns minutos. Ufa…

Depois do quase incêndio, Bob ainda pegou seu violão e começou a cantar. Empolgação e bebedeira no máximo. Eu, ao contrário, deixei o Ramon fazendo a sala e fui dormir…

casa do Bob

Dia 5: 524 mi (Bob’s House) a 518 mi (Hiker Town)

Total percorrido
Tempo sem paradas
Subida acumulada
Descida acumulada
Altitude máxima
Dificuldade
10 km
2h45min
68 metros
54 metros
945 metros
Leve Moderada

Segue a elevação do dia 5.

Também passamos por:

  • aqueduto de Los Angeles
  • aqueduto East Branch da Califórnia

Saímos da casa do Bob e seguimos pelas ruas próximas do aqueduto até Hiker Town. Foi uma caminhada chata e sem sombras.

caminhando pelo aqueduto

Passamos pelo aqueduto, até chegarmos na rodovia, onde fica uma mini-cidade coreográfica chamada de Hiker Town.

Em Hiker Town é possível acampar (gratuito), lavar roupas manualmente, tomar banho (US$ 5) e ficar em algum quarto (US$ 10 a 25). Tem somente um banheiro, e a ducha é bem precária, praticamente em frente à rodovia, a céu aberto. Não dá para ficar pelado.

Hiker Town

A 6 km de lá, há um mercado e translado gratuito para os hikers se abastecerem de comida para o próximo trecho.

Dicas

  • Dicas gerais da Pacific Crest Trail estão no post principal “Pacific Crest Trail – nosso pedacinho deste longo caminho“.
  • Vale ir perguntando para as pessoas que cruzar na trilha como está a água adiante. Esta informação vale ouro no Sul da Califórnia.
  • Muitos hikers usam uma sombrinha para ajudar na proteção solar.

Custos

Seguem alguns custos em dólares americanos (USD) e equivalentes em reais (BRL), conforme o câmbio que fizemos.

  • Sanduíche de 30 cm no Subway, em Ridgecrest: $USD 7 ($BRL 30)
  • Hospedagem no Motel 6, em Ridgecrest, diária casal, sem café-da-manhã: $USD 40 ($BRL 170)
  • Hospedagem em Hiker Town, cama de casal, diária casal: $USD 25 ($BRL 102)
  • Banho em Hiker Town: $USD 5 ($BRL 20)
  • Hambúrguer em Hiker Town: $USD 11 ($BRL 46)
  • Mercado em Hiker Town, comida para trilha, média diária individual: $USD 10 ($BRL 40)

Dados sabáticos

2857 km trilhados
66 cidades
5 países
1 ano e 11 meses

Quer mais?

Nós, Paula Yamamura e Ramon Quevedo, estamos curtindo uma vida sabática desde 2017, focando no que mais gostamos de fazer: viajar trilhando.

Nos acompanhe também em:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.