Bolívia, Potosí

BOLÍVIA – de Atacama a Uyuni em 4 dias

Salar de Uyuni e Reserva Natural da Fauna Andina Eduardo Avaroa, impossível ignorar essas belezas naturais bolivianas.

Estávamos no deserto de Atacama e aproveitamos para dar uma esticada até o salar de Uyuni, em Potosí na Bolívia, passando pela espetacular Reserva Eduardo Avaroa.

Foi nossa segunda vez neste lugar e continuamos achando este trecho muito mais bonito que o Atacama. É um inesquecível tour de 4 dias.

Como chegamos

Em uma breve pesquisa percebemos que o preço do tour é padrão entre as operadoras. Fomos em alta temporada, em janeiro, e contratamos o tour com somente de 2 dias de antecendência, sem problemas.

Contratamos um tour, pela Luna Dorada, saindo de San Pedro de Atacama.

Para chegar em San Pedro de Atacama veja o link abaixo.

Roteiro de 9 dias no Atacama

Há 3 opções de tour para Bolívia:

  • Tour coletivo de 4 dias, voltando para San Pedro de Atacama.
  • Tour coletivo de 3 dias, ficando em Uyuni, não volta para Atacama.
  • Tour privado de 3 dias, voltando para San Pedro.

Nós fomos no tour coletivo de 4 dias. O coletivo significa que além do motorista, serão mais 6 pessoas no carro. Tivemos sorte e nosso grupo eram o motorista e 5 turistas: além de nós, um inglês e dois coreanos.

Não entendemos direito a vantagem do tour privado. Pagar mais caro e ainda ficar um dia a menos… Vai entender…

Roteiro

Dia 1

San Pedro de Atacama

Às 7h50min, uma Van chegou para nos buscar no Hostal em San Pedro de Atacama, com 20 minutos de atraso.

O controle fronteiriço chileno fica em San Pedro. Mas vimos que estão construindo uma estrutura na própria rodovia, o que faz mais sentido.

Paramos ao lado do controle fronteiriço e nos serviram um café da manhã.

Pegamos a fila para passar na aduana e às 9h40min saímos em direção à estrada que leva à Bolívia.

Bolívia

Às 10h30min chegamos no controle fronteiriço boliviano. A nossa agência, Luna Dorada, se mostrou extremamente eficiente, e não pegamos fila para carimbar nosso passaporte.

Neste momento deixamos a Van e entramos em uma caminhonete 4×4, com nosso motorista-‘guia’ boliviano. Era Cristiano com apenas 20 anos de idade. Pelo que eu vi, deveria ser o motorista mais jovem de todos.

Reserva Nacional de Fauna Andina Eduardo Avaroa

A Reserva Nacional de Fauna Andina Eduardo Avaroa começa logo na fronteira com a Bolívia. Às 11h10min passamos por sua entrada oficial e pagamos o ticket de 150 pesos bolivianos, válida por 4 dias.

Laguna Blanca

Na entrada do parque já é possível avistar a primeira laguna de nossa viagem, a Laguna Blanca.

Laguna Verde

A Laguna Verde é praticamente vizinha à laguna Blanca.

Deserto Salvador Dali

Depois de 20 minutos chegamos ao deserto de Salvador Dali. É uma rápida parada para tirar fotos ao longe.

Termas de Polkes, laguna Chalviri

Ás 12h40min chegamos nas piscinas termais. Foram 30 minutos para curtir a piscina, ir ao banheiro e tirar algumas fotos. O tempo é curto. Nessas horas dá vontade de não estar em um tour turístico coletivo, mas no dia seguinte vimos a importância de não estarmos só neste lugar.

Fumarolas Sol de Mañana

Fumarolas Sol de Mañana, não são tão numerosas quanto seu vizinho El Tatio, mas é um geyser bem charmoso.
Ficam a 30 minutos da piscina termal e 50 minutos da laguna Colorada.

Hostal Arbol de Piedra

Às 14h30min chegamos no hostal Arbol de Piedra, a 4 km da estonteante laguna Colorada.

É um dos ponto mais alto do tour, por isso é muito importante tomar bastante água, para ajudar a evitar o mal de altitude.

Almoçamos e à tarde fomos até a laguna Colorada.

Laguna Colorada

LRM_EXPORT_20180112_195819

A 4278 metros de altitude, a laguna Colorada é uma das paisagens mais lindas que nossos olhos já viram.

Na primeira vez que a conhecemos foi em 2012, naquela oportunidade dormimos em um hostal que fica na beira desta laguna. Tivemos uma vista de uma laguna que começava com uma cor azul intensa e que se transformava aos poucos em um vermelho cor de sangue. Dezenas de flamingos se aglomeravam na parte mais vermelha da lagoa.

Nesta viagem conhecemos outro lado da imensa laguna Colorada, onde a cor branca se misturava, como um chantilly, com a cor vermelha roseada. É de tirar o fôlego. É impossível retratar em fotos, a beleza vista pelos olhos.

lrm_export_20180112_200106798331655.jpg

dia 2

Hostal Arbol de Piedra

Éramos para sair às 7 horas em ponto, como havia solicitado nosso motorista. Mas ele mesmo atrasou por 1 hora. Não entendemos direito o que aconteceu, mas ele acabou culpando o hostal por ter atrasado nosso café da manhã.

Arbol de piedra

Com 40 minutos de ‘estrada’ chegamos no Arbol de Piedra, localizado no deserto de Siloli.

Interessante o que a natureza cria. Ficamos 20 minutos para foto e ir ao banheiro. O banheiro é algo recente neste lugar, mas foi uma ótima iniciativa da Reserva. Um alívio para as mulheres.

Deserto de Siloli

E então o pneu e a roda saem do carro. Com uma super ajuda de outros cinco motoristas-mecânicos que pararam para nos socorrer, foram duas horas para o conserto. Nessas horas que damos mais valor ao motorista, que precisa entender muito de mecânica. Se não fossem os outros carros, a situação ficaria bem mais complicada.

Carro pronto e percorremos mais dez minutos para encontrar alguns coelhos viscaya.

LRM_EXPORT_20180114_075533.jpg

Laguna Honda

Ao meio-dia uma foto da laguna Honda, que nos presenteou com algumas vicunhas.

Laguna Hedionda

Mais 30 minutos e paramos para almoçar na agradável laguna Hedionda. O motorista Cristiano já estava com o almoço pronto em recipientes herméticos. Nos serviu salada, arroz, legumes e um torta de batata bem saborosa.

Na beira desta laguna há mesas com bancos, para quem quiser fazer uma refeição. Também há hospedagem, e pagando é possível ter até sinal de wi-fi.

Saímos da laguna Hedionda às 13h30min.

Mirador vulcão Ollague

No caminho uma rápida parada para tirar foto do vulcão Ollague.

Valle de las Rocas

Às 14h45min estávamos no valle de Las Rocas. A pedra acima não parece um condor?

Depois do valle de las Rocas seguimos até o hostal, com duas paradas para ir ao banheiro e esticar as pernas. A última parada foi às 17h30min em Julaca.

Alojamiento Magia del Salar

O hostal que nos hospedamos é ‘tipo’ de sal. É um hostal de alvenaria, pintado de branco e com sal espalhado no chão.

Chegamos um pouco tarde, às 18h30min. O jantar estava marcado para 19h30min. Deu tempo de tomar banho e jantar às 21 horas. Claro que o jantar atrasou…

dia 3

Alojamiento Magia del Salar

Saímos do Hostal às 6h00, com 30 minutos de atraso. Perdemos o nascer do Sol no salar. Tivemos que esperar nosso motorista abastecer o carro. Mas por sorte, o dia amanheceu completamente nublado e no final não perdemos nada.

Salar de Uyuni

O Hostal fica ao lado do Salar de Uyuni. Então foi entrar no carro, percorrer alguns metros e estávamos no
Salar de Uyuni, o maior salar do mundo!

Fomos em janeiro, porque é época de chuva e nosso objetivo era ver o salar alagado, com o efeito espelho d’água.
Deu certo! 😀
É muito lindo… 😍

Também haviam algumas partes sem estar alagado.

Quando visitamos o salar de Uyuni pela primeira vez, na foto abaixo em 2012, fomos em época de seca, e o chão estava todo rachado em formas quase regulares.

Isla Inca Huasi

Infelizmente com o salar alagado não foi possível chegar à Isla Inca Huasi.  A foto acima é da viagem de 2012.

É uma ilha no meio do salar coberta por cactos.

Algo a se pensar quando for escolher a época da viagem. A desvantagem de ir em janeiro é não visitar esta ilha, que fica literalmente ilhada.

Hotel de Sal Playa Blanca

É um hotel a 3600 metros de altitude, que acabou virando um museu. Dentro há algumas estátuas de sal. Para tirar foto tem que pagar uma taxa. Depois de tantas imagens lindas desta viagem, achamos que não valia a pena pagar para tirar foto de estátua.

Monumento ao Dakar

Às 11h40min deixamos o salar de Uyuni, passando pelo monumento que fizeram em homenagem ao Dakar.

Mal sabíamos que no dia seguinte essa corrida iria nos atrasar.

Paramos em Colchani, uma pequena vila no caminho à cidade de Uyuni, para almoçarmos.

Cemitério de trens

A última atração da viagem é um cemitério de trens próximo à Uyuni. Ficamos entre 13h00 e 13h20 para tirar fotos.

Uyuni

Chegamos em Uyuni às 14h00 e nos despedimos de Cristiano e dos demais turistas, que ficaram por lá. Às 16h00 nos juntamos com outros turistas em outro carro, para voltarmos à San Pedro.

Foi um dia longo e para piorar a estrada foi bloqueada para que o rally Dakar passasse. Ficamos mais de uma hora parados, até liberarem um desvio para prosseguirmos. E no final, nem vimos nenhum veículo da corrida passando.

Chegamos no hostal tarde, por volta das 20 horas. Foi chegar, tomar banho, jantar e dormir.

dia 4

Esse dia foi dedicado para o retorno. Saímos aproximadamente às 5 horas da madrugada e tomamos um belo café da manhã, o melhor da viagem, em uma hospedagem em frente às Termas Polkes.

Chegamos na aduana boliviana por volta das 9 horas da manhã, onde mais turistas aguardavam para entrar no carro e começar o tour pela Bolívia.

Nós voltamos para San Pedro de Atacama e seguimos nossa viagem pelo Chile.

Custos

Custos para 1 pessoa em pesos bolivianos e chilenos:

  • Tour 4 dias: $ chilenos 115000,0
  • Entrada no Parque Eduardo Avaroa: $ bolivianos 150,00
  • Gastos na Bolívia: $ bolivianos 60,00

Cotação oficial em 16/02/2018:
US$ 1,00 = R$ 3,23 = $ bolivianos 6,86 = $ 592,75 chilenos

Resumo

  • País: Bolívia
  • Cidade próxima: San Pedro de Atacama (Chile), Uyuni (Bolívia)
  • Duração do tour: 3 noites / 4 dias
  • Altitude máxima: 4300 metros
  • Período da viagem: meados de janeiro de 2018

Dicas

  • Como este tour passa por altas altitudes é importante se aclimatar antes, para evitar o mal de altitude, como dores de cabeça e enjoos. A sugestão é fazer alguns passeios no Atacama antes, como salar de Tara e Geysers del Tatio.
  • Leve bastante água. Ela também ajuda a evitar o mal de altitude. Beba mesmo sem estar com sede.
  • Leve roupa de frio.
  • Apesar do pacote incluir comida, leve alguns snacks para beliscar entre as refeições.
  • Dica para as mulheres: vá em todos os banheiros que encontrar. Como eles são raros durante a viagem, toda a oportunidade é importante. 😉
  • Se proteja do Sol. Use protetor solar, chapéu e roupas com proteção UV.

Dados sabáticos

847 km trilhados (trilhas em stand by na Bolívia)
81 noites acampando
27 cidades
7 meses
4 países

Quer mais?

Acompanhe nosso dia-a-dia no Facebook e Instagram.

Veja também nosso roteiro de 9 dias no vizinho Atacama.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s